Menu Envie sua pauta
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
11 de abril de 2021
Rádios

Projeto de Lei de Zeca Dirceu prevê prioridade na vacinação para profissionais da Assistência Social

Protocolado no dia 26 de abril, o PL atende à reivindicação da categoria.

Saúde

por Evandro Artuzzi

cd6345e1-71f3-4200-b6d6-0345eab87fd2
Publicidade

Prioridade no processo de vacinação contra a Covid-19 para os profissionais do Sistema Único de Assistência Social (SUAS) e das entidades e organizações que prestam atendimento com políticas de assistência social. É o que determina o Projeto de Lei (PL) 1092/21 do deputado federal, Zeca Dirceu (PT-PR), para alterar a Lei 14.124/21, que cria o Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação.

Protocolado na última sexta-feira, 26, o PL atende à reivindicação da categoria, que cobra prioridade na imunização, em um cenário onde a política de assistência social tem sido fundamental para minimizar os danos da pandemia e da crise econômica.

A matéria argumenta que esses trabalhadores são essenciais e estão na linha de frente da pandemia, atuando diretamente com a população mais vulnerável nos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), Centros de Referência Especializada da Assistência Social (CREAS), nas unidades de acolhimento, nas ruas, entre outros.

Para Zeca é necessário ter mais atenção com a assistência social e incluir esses profissionais nos grupos prioritários da vacinação contra o coronavírus, pois, o momento é um dos mais dramáticos da história recente do Brasil e os assistentes sociais são fundamentais.

Publicidade
Publicidade

“Além da crise sanitária, a Covid-19 tem submetido o país a uma grave crise econômica, que ganha contornos mais drásticos com a postura do governo de não prorrogar o Auxílio Emergencial, como deveria ter feito. Com isso, o país está com cada vez mais desempregados, pessoas em situação de rua e extrema vulnerabilidade. São os profissionais da assistência social que atuam diretamente com eles, buscando levar políticas sociais para a sobrevivência desses brasileiros que sofrem”, afirma Zeca Dirceu.

O projeto afirma ainda que enquanto várias localidades estão com toque de recolher e lockdown, para conter a pandemia, são esses trabalhadores dos serviços essenciais, que não podem parar, e estão atuando para promover atendimento à população. (Fonte/foto: Assessoria)

Publicidade