Menu Envie sua pauta
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
04 de agosto de 2021
Rádios

Potencial de consumo da população de Palmas supera R$ 1 bilhão em 2021

Habitação, alimentação e transporte são as principais despesas dos palmenses neste ano.

EconomiaRBJ TV

por Guilherme Zimermann

palmas_aerea2
Publicidade

A população de Palmas deverá gastar em bens, mercadorias e serviços, mais de R$ 1 bilhão em 2021. Habitação, alimentação e transporte são as principais despesas dos palmenses neste ano. É o que aponta o Índice de Potencial de Consumo (IPC) levantado pela empresa IPC Marketing.

Em entrevista à Rádio Club/RBJ, o responsável pelo estudo, Marcos Pazzini, explicou que o levantamento é realizado anualmente e baseia-se nos dados dos Censos de 2000 e 2010, das Pesquisas Nacional por Amostra de Domicílios e nas Contas Consolidadas da Nação, contabilizadas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Até o fim do ano, os gastos da população palmense com habitação, o que engloba despesas com água, energia elétrica, gás, aluguel, entre outros, devem totalizar R$ 264,3 milhões. Os gastos com veículos deverão ultrapassar R$ 151 milhões, enquanto que a alimentação deverá somar R$ 137 milhões.

Integram ainda o levantamento outras categorias de gastos, como bebidas, eletroeletrônicos, vestuário, calçados, medicamentos, viagens, fumo e materiais de construção.

Publicidade
Publicidade
[Grupo RBJ de Comunicação] Potencial de consumo da população de Palmas supera R$ 1 bilhão em 2021 — Potencial de consumo da população de Palmas em 2021
Potencial de consumo da população de Palmas em 2021

Analisando de modo geral, Pazzini pontua que uma das percepções dos últimos anos, é que a capacidade de compra do trabalhador brasileiro, a partir do salário mínimo, tem diminuído.

Outro ponto considerado foi a elevação do potencial de consumo da população do Nordeste do país na década passada, em virtude das transferências de recursos à população a partir do governo federal. Porém, a partir de 2020, a região Sul voltou a ocupar a 2ª colocação no potencial de consumo nacional.

Publicidade