Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
28 de fevereiro de 2024
Rádios

Base improvisada do SAMU de Palmas é fechada

Técnicos e socorristas estão alocados, mais uma vez de forma provisória, na Unidade de Pronto Atendimento, no Lagoão.

Saúde

por Guilherme Zimermann

Base do SAMU – 16 10 2023
Publicidade

Após um novo episódio de alagamento, o local onde funcionava a base improvisada do SAMU de Palmas foi fechado. Os técnicos e socorristas estão alocados, mais uma vez de forma provisória, na Unidade de Pronto Atendimento do bairro Lagoão. Além do alagamento, a falta de espaços adequados para os profissionais também motivou a saída do local e o consórcio responsável pelo SAMU afirma que os trabalhadores não voltam mais para a antiga base.

O SAMU iniciou seus trabalhos no Sudoeste do Paraná no final de 2012. Em agosto daquele ano, os municípios da região assinaram um contrato de adesão ao Ciruspar (Consórcio Intermunicipal da Rede de Urgência do Sudoeste do Paraná). Neste contrato, há as obrigações que cada um dos integrantes deve cumprir.

No caso dos municípios que são sede bases descentralizadas, como é o caso de Palmas, os locais cedidos para as bases devem ter, no mínimo, quartos para descanso dos profissionais, com banheiros em anexo; estacionamento coberto para as ambulâncias; copa; sala de estar; almoxarifado; local coberto para limpeza das viaturas e equipamentos.

A responsabilidade pela cedência e manutenção das bases é das prefeituras municipais. Em Palmas, o local cedido, ainda no ano de 2012, foi um antigo postinho de saúde, que atendia o bairro Serrinha. O local fica próximo ao trevo Kaygangue, no entroncamento com a PRC-280. Porém, a estrutura que era improvisada, acabou se tornando permanente.

Publicidade
Publicidade

O local já sofreu vários alagamentos, pois está próximo ao Rio Lajeado. Na última quinta-feira (12), a base foi totalmente alagada, impossibilitando a permanência dos técnicos e socorristas, que foram alocados agora em uma sala na Unidade de Pronto Atendimento.

Em contato com a direção do Ciruspar, o Departamento de Jornalismo da Rádio Club foi informado que houve o encaminhamento de um ofício à prefeitura de Palmas, com questionamentos sobre a situação da base do SAMU e até o inicio da tarde desta quinta-feira (19), ainda não havia uma resposta oficial. A assessoria de comunicação da prefeitura também foi procurada, mas até a publicação, não houve retorno.

Publicidade