Menu
Grupo RBJ de Comunicação
Grupo RBJ de Comunicação,
17 de janeiro de 2021
Rádios

Usuários não gostaram da sinalização no trecho Abelardo Luz ao trevo do Rincão

Cotidiano

por Ivan Cezar Fochzato

118783461_2061162390681110_5544237531384958622_o
Publicidade
[Grupo RBJ de Comunicação] Usuários não gostaram da sinalização no trecho Abelardo Luz ao trevo do Rincão — Ao que parece, até mesmo a máquina que realizou as pinturas teve dificuldade em manter-se em reto trânsito.
Ao que parece, até mesmo a máquina que realizou as pinturas teve dificuldade em manter-se em reto trânsito.

Repercute amplamente pelas redes sociais,  a “nova” sinalização horizontal, com pinturas de faixas na rodovia entre o trevo do Rincão na divida do Estado com o Paraná (PRC 280) e a cidade catarinense de Abelardo Luz, Oeste de Santa Catarina. As manifestações são em função do péssimo estado de conservação do trecho que une os dois estados e de longa data alvo de reclamações e cobranças por melhorias ao Governo de Santa Catarina.

A população reagiu fortemente ao “trabalho” de pinturas de faixas até mesmo sobre as crateras na pista ao longo do trecho.O Departamento Estadual de Infraestrutura(Deinfra) realiza constantes operações tapa buracos, que pouco duram.

Em agosto, a Assembleia Legislativa de Santa Catarina aprovou a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do Estado para 2021. Entre as dotações aprovadas, estão duas emendas, no valor de R$ 49 milhões, destinadas à revitalização da SC-155, desde o entroncamento com a PRC-280, no Rincão Torcido, até a divisa de Santa Catarina com o Rio Grande do Sul.

O autor das emendas foi o deputado Altair Silva (Progressistas). Ao Departamento de Jornalismo da Rádio Club de Palmas, o parlamentar destacou que a inclusão da obra no orçamento do Estado foi fruto de uma ampla articulação entre os parlamentares que representam o Oeste Catarinense.

Publicidade
Publicidade

Conforme ele, a rodovia tem passado por operações de tapa buracos que já não resolvem mais os seus problemas estruturais, sendo necessária a sua recuperação completa.

Ressaltou o deputado que, a partir da dotação orçamentária, o governo terá condições de executar a obra, que deverá envolver um trabalho de pressão política e organização da bancada do Oeste para que o serviço realmente saia do papel.

Publicidade