O Diretor do Grupo Enercons, Ivo Pugnaloni, comemorou o recente anúncio da construção da nova subestação das Centrais Elétricas de Santa Catarina(Celesc) em Abelardo Luz, oeste de Santa Catarina, aumentando a viabilidade dos investimentos para a construção do Complexo Eólico Palmas II, no município de Palmas.

  • Compartilhe no Facebook

Pugnaloni comemorou o anúncio do investimento no município catarinense

Explicou que o benefício para o empreendimento eólico ocorre em função de que agora a reserva da capacidade que a Copel estava fazendo na subestação de Palmas para a energia produzida por seis hidrelétricas no estado catarinense poderá ser destinada totalmente à geração eólica paranaense.

“Com o aumento da capacidade em Abelardo Luz, poderemos redirecionar o projeto para que a energia do complexo éolico seja interligada ao sistema de Palmas, há 30 quilômetros das fontes geradoras e não mais para Bituruna,  distante 90 quilômetros, o que aumentaria nosso custo de produção”, disse ele.

De acordo com o Chefe da Divisão Técnica da Celesc de Chapecó, Paulo Giacomazzi, o projeto da subestação beneficiará além de Abelardo Luz, os municípios de São Domingos, Ouro Verde e Ipuaçu, melhorando o fornecimento de energia e alavancando outros empreendimentos, como indústrias e a conexão de sete usinas hidrelétricas, que estão em processo de instalação, homologação e  regulação  junto aos diversos órgãos governamentais. Entre elas estão a PCHs Prainha, Mangueira de Pedra, Aparecida, Araçá, Criciúma,  Barreiros e Santa Rosa. A localização da nova subestação deverá ser definida através de estudos e projetos pelos técnicos da Celesc.

Conforme Pugnaloni, com o encurtamento da distância e a possibilidade de uma conexão com a linha de transmissão já existente entre a região produtora de energia nos Campos de Palmas e o sistema da Copel na cidade de Palmas é fundamental para atrair os investidores e consolidar a viabilidade do empreendimento eólico nos aspectos técnicos e financeiros.

Atualmente a energia produzida pelas PCHs Rondinha e Victor Adami no Rio Chapecó em Passos Maia, Santa Catarina,  já são conectadas a subestação de Palmas.