O governador Carlos Massa Ratinho Junior assinou nesta quarta-feira (13), em Pato Branco, a autorização do lançamento da chamada pública, de R$ 700 mil, referente ao Programa de Apoio ao Sistema Regional de Inovação do Sudoeste do Paraná. O programa é financiado pela Fundação Araucária e conta com o apoio do Sebrae.

A autorização foi formalizada durante evento do governador com prefeitos da região, dentro da agenda de transferência da sede administrativa do governo estadual para Pato Branco.

O objetivo do edital é apoiar o desenvolvimento e a inserção no mercado de novos produtos ou processos, que promovam as atividades de inovação de base tecnológica. Também objetiva dar suporte à competitividade de empresas emergentes ou em processo de formalização (startup), classificadas como microempreendedor individual (MEI), micro e pequenas empresas.

“Havia essa demanda de custeio e bolsas para as startups da região. De todos os ecossistemas de inovação do Estado, o do Sudoeste é o mais mobilizado”, disse o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig.

Segundo ele, serão vinte empresas atendidas, dez em estágio inicial, que receberão R$ 20 mil cada, e dez em estágio avançado, com R$ 50 mil cada. “É um processo de geração de riqueza, de emprego e renda. A intenção é replicar esse modelo nos outros ecossistemas estaduais”, afirmou Wahrhaftig.

Essas empresas deverão estar sediadas nos 42 municípios que compõe a Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop) e atuando no âmbito do Sistema Regional de Inovação do Sudoeste, em setores econômicos considerados estratégicos à política pública de inovação do Estado.

NOVOS ARRANJOS – A chamada pública faz parte da construção estrutural de Novos Arranjos de Pesquisa e Inovação no Paraná (NAPIs) para startups, em torno de desafios ligados ao desenvolvimento do Estado.

Serão apoiados projetos de inovação de base tecnológica, a serem submetidos por empresas emergentes ou em processo de formalização (startup), inseridos nos seguintes temas de agrotech, eletroeletrônico, tecnologia da informação e healthtech.

Segundo Henrique Domakoski, superintendente de Inovação da Casa Civil, o edital foi construído em parceria com a governança local. “A gente entendeu os desafios e as demandas e desenvolveu o programa em cima disso. Empreendedores locais nos auxiliaram a entender como investir os recursos com assertividade”, disse ele.

 

Fonte: Agência Estadual de Notícias.