• Compartilhe no Facebook

Franciele Marcelino Moreira, ganhadora do “Mãos que Transformam”.
Crédito: Cinthia Vicini

A beltronense Franciele Marcelino Moreira é mais um exemplo de brasileira que sofre nas filas de emprego. Nesse caso, não pelo fato de não ter escolaridade (ela possui Ensino Médio completo), mas pela aparência física que [ainda] parece ser critério de escolha e avaliação na hora de ‘fichar’ numa empresa. “Não foi só uma vez, ano passado fui numa empresa [em Beltrão] e a pessoa responsável me olhou e disse que eu era muito baixinha e não servia nem para limpar banheiro. Fiquei muito triste quando ouvi aquilo. Mas agora tudo está mudando”, conta Franciele.

Mudando porque ela foi selecionada entre mais de 20 candidatas que se inscreveram no projeto “Mãos que Transformam”, idealizado e desenvolvido pela empresária Vanessa Teles Make Up, empresa associada à Associação  Empresarial de Francisco Beltrão (Acefb). As candidatas escreveram suas histórias de vida e relataram o porquê mereciam ganhar uma transformação e o que mais desejavam, em se tratando de visual e de mudança de vida.

A revelação do resultado dessa transformação acontece dia 4 de abril, durante a 12ª Expofeira Mulher de Francisco Beltrão. A feira de cultura e negócios acontece de 3 a 7 de abril, no centro de eventos do parque de exposições, e é organizada pelo Núcleo da Mulher e Empresária e Núcleo de Arquitetos e Urbanistas (Nudearq).

Na essência do projeto, “o desejo de promover uma ação social que envolvesse beleza, autoestima e que pudesse ser a oportunidade para melhorar a vida de uma mulher”. De acordo com a empresária Vanessa Telles, o sonho ficou maior e contou com o desejo de transformação e entusiasmo em colaborar de muitas empresas de diversos segmentos. “O projeto irá oferecer à mulher escolhida saúde, mudança de visual, tratamento odontológico, acompanhamento nutricional, auxílio e orientação com coach, organização da casa, que inclui ainda mobiliário e um projeto de arquitetura, além de muitos outros benefícios oferecidos pelos parceiros”, explica Vanessa.

O projeto havia sido escrito por Vanessa há uns dois anos e somente no ano passado ela conseguiu pôr em prática. Segundo Vanessa, é difícil conseguir parceiros para que sua ideia tivesse mais seguidores. “Já fomos tirar todas as medidas da casa, vamos pintar a casa toda. Ganhamos também um projeto de paisagismo para a residência dela”, disse Vanessa em entrevista à repórter Angela Maria da Rádio Onda Sul FM. “Recebemos muitas cartas, mas a que o coração bateu mais forte foi a da Franciele. Com isso vamos mudar a autoestima dela e de sua família”, completa Vanessa.

Atenta, professora ajudou Franciele a participar do concurso

Na tarde segunda-feira, 28, Franciele contou à assessoria de imprensa da Acefb que, “graças a Deus e a sua

  • Compartilhe no Facebook

Casada e moradora do Bairro Pinheirão, Franciele é mãe de três meninas.   Crédito: Cinthia Vicini

professora” ela terá uma chance nova na vida. “Fiz um curso no Senac ano passado de trabalhador doméstico. Foi só choro quando fiquei sabendo que fui a selecionada para ser transformada”, relata Franciele.

Com 35 anos de idade, Franciele nunca teve sua carteira assinada. Após o término de sua transformação, ela espera que algum empresário ofereça uma oportunidade de trabalho. “O que eu mais quero é trabalhar, correr atrás desse tempo perdido”.

Apoiam o “Mãos que Transformam”: LabMax, Beleza Personalité, Organize-C, Neo Ortho, Tulipas Spa Urbano & Estética, Farma Anjos, arquiteta Pâmela Carneiro, Cinthia Vicini Fotografia, Trend 360 Marketing & Comunicação, Baixer Colchões, Vivace Estética Avançada, Leve Decorações, Artgardem Paisagismo, Franciela Bedenasrki Terapeuta, Anemaria Ferrazo Micropigmentação, Bávaros Pub, Inovatta Móveis Sob Medida, Center Sudoeste Materiais de Construção, Pano Chic roupas, La Basic, Sheli Köller paisagista, Construtora Faenello, Sílvia Ecker e Magraa Superfícies.