O aumento no número de casos de violência contra a mulher e até mesmo de feminicídio vem preocupando autoridades e a comunidade em geral.  Em 2018, foram mais de 92 mil ligações para a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência – o Disque 180. Mas o número pode ter sido maior porque muitas mulheres não denunciam seus agressores.

Nos últimos dias dois casos de feminicídio chocaram os moradores da região sudoeste do Paraná. No dia 10 de maio um homem matou a ex-mulher na frente da filha de 9 anos no centro de Coronel Vivida. E na manhã de ontem, terça-feira (21), depois de conviver por 25 anos juntos e não aceitando a separação, um homem matou sua ex-mulher a facadas no interior de Pato Branco.

Em repúdio aos casos registrados na região, representantes do Conselho Municipal dos Diretos da Mulher com o apoio da Secretaria de Assistência Social vão realizar na tarde desta quarta-feira (22), a partir das 17 horas uma mobilização em frente da Igreja Matriz de Chopinzinho, em repúdio a violência contra as mulheres.

Segundo a Presidente do Conselho Municipal dos Diretos da Mulher de Chopinzinho, Pollyana Ratko, o objetivo desta mobilização é conscientizar as mulheres a denunciar os agressores para combater este tipo de crime. “O crime de feminicídio ocorrido em Pato Branco ontem, por ser com uma pessoa conhecida acabou deixando a gente ainda mais abalada e isso nos levou a mobilizar as mulheres na luta para que elas denunciem, e que a gente consiga através dessa mobilização a prevenção e o combate a esse tipo de crime”, disse Pollyana.

A mobilização será das 17 as 18h30 em Frente a Igreja Matriz São Francisco de Assis.