Por insuficiência de votos, ficou impedida a abertura de processo administrativo-disciplinar de investigação por suposta violação do Código de Ética e Decoro Parlamenta pelo vereador da Câmara de Palmas, sul do Paraná, Ademar dos Santos Nunes.

A Corregedoria havia relatado segundo seu parecer que era favorável à abertura do processo administrativo. Contudo, a votação terminou empatada em 5 a 5, pela ausência de dois vereadores (Rafael Bosco e Izaias Mikilita) e pelo denunciado.

Votaram favoráveis pela instauração os vereadores Paulo Bannake, Luiz Otavio Sendeski, Mauro Cesar de Almeida, Nilson Butner e Jucelia de Oliveira Paim. Os contrários foram Edson Luiz Ferreira Kemes, Marcos Antônio da Silva Gomes, Luiz Guesser, José Adilson de Almeida e Silvana Ribas Belo.

Embora tenha parado no âmbito do Legislativo, o processo contra Nunes segue em tramitação no Poder Judiciário da Comarca que julgará a denúncia que o vereador teria solicitado a quantia de R$ 30 mil para votar em determinado candidato a presidência da Câmara de Vereadores local. Relata ainda que a solicitação foi registrada em Ata Notarial e novamente gravada no dia seguinte, em que o denunciado teria diminuído o pedido para valores entre R$ 15 e 20 mil reais.