Os afastamentos por conta de acidentes de trabalho custaram mais de R$ 18,5 milhões entre 2012 e 2018, na microrregião de Palmas, Sul do Paraná. Segundo levantamento do Setor de Estatísticas da Rádio Club/RBJ junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT), nesse período foram registrados 2.059 afastamentos superiores a 15 dias, que resultaram no pagamento de auxílio doença por acidente de trabalho.

  • Compartilhe no Facebook

Em Palmas foram mais de 1,4 mil afastamentos, o que gerou um impacto previdenciário de R$ 13,3 milhões. Mangueirinha contabilizou 226 afastamentos, enquanto Clevelândia teve o registro de 211. Nos dois municípios, o custo foi de R$ 3,6 milhões.

No município de Coronel Domingos Soares, com 110 afastamentos por conta de acidentes de trabalho, foram R$ 1,1 milhão de impacto previdenciário. Já em Honório Serpa, os 68 afastamentos contabilizaram R$ 414,9 mil em auxílios doença.

Do total de afastamentos, quase 30% foram registrados pelo segmento de fabricação de madeira laminada e de chapas de madeira compensada. Entre as atividades com maior frequência de afastamentos na microrregião estão ainda abate de animais, atividades de apoio à produção florestal, transporte rodoviário de carga e fabricação de papel.

Conforme o MPT, o impacto previdenciário dos afastamentos na microrregião de Palmas foi de R$ 18,5 milhões, com a perda de 481 mil dias de trabalho.