Em sete anos, a microrregião de Palmas registrou 875 ocorrências de acidentes de trabalho. Foram 125 acidentes por ano, em média. No mesmo período, foram 17 mortes em atividades laborais na região. As informações foram levantadas pelo Setor de Estatística da Rádio Club/RBJ junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT).

No município de Palmas foram 640 registros entre 2012 e 2018. Entre as atividades econômicas com maior frequência de acidentes estão a produção florestal, com 185 acidentes. No setor de abate de suínos, aves e outros pequenos animais foram 108 registros. Na fabricação de artigos de metal para uso doméstico e pessoal, 52 ocorrências.

Em seguida aparece Mangueirinha, com 111 acidentes, sendo os setores do comércio atacadista, laticínios e cultivo de cereais os que mais registraram ocorrências. Em Clevelândia foram 75 registros, sendo 11 apenas no setor de fabricação de óleo vegetal.

Em Coronel Domingos Soares a criação de aves, atividades de apoio à agricultura e captação de água foram os segmentos que lideraram o ranking de acidentes de trabalho, com nove registros. Ao todo, o município contabilizou 25 ocorrências, seguido por Honório Serpa, com 24 acidentes. Fabricação de papel foi o setor com maior frequência de registros no município.

Entre as lesões causadas, fraturas, cortes, lacerações e contusões são as mais frequentes na microrregião.

Dos óbitos decorrentes de acidentes de trabalho, nove foram registrados em Palmas, quatro em Clevelândia, dois em Mangueirinha, um em Honório Serpa e outro em Coronel Domingos Soares.