Após dois meses de investigação, a Polícia Civil de Coronel Vivida prendeu um professor acusado de atrair à prostituição alunos de escolas do município.  Segundo apurado pela polícia, o professor, de 21 anos de idade, cujo nome não foi divulgado para preservar a identidade das vítimas, criou na rede social Facebook um perfil falso no qual oferecia dinheiro e outras vantagens para que adolescentes, muitos deles seus alunos, se relacionassem sexualmente com ele.

Além de dinheiro, o professor também oferecia bebidas alcoólicas, cigarros e até mesmo chegou a encaminhar uma prova a um aluno, prometendo auxílio nos estudos, caso o menor consentisse em manter relações sexuais com ele. Ao menos um adolescente foi efetivamente atraído à prostituição e manteve relações sexuais com o professor em troca das ofertas.

Interrogado, o acusado assumiu ser o responsável pelo perfil falso da internet, bem como afirmou ter mantido relações sexuais com uma das vítimas. A Polícia Civil representou por sua prisão preventiva, a qual foi deferida e cumprida. Segundo o delegado Rômulo Contrin Ventrela,  a investigação iniciou depois de uma denúncia de que o falso perfil estaria oferecendo prova da escola aos alunos.

O delegado disse que a faixa etária preferida do acusado eram meninos entre 13 e 14 anos. O adolescente que teria mantido relação sexual com o acusado, não era seu aluno.  O professor ministrava aulas em uma escola particular em Coronel Vivida e outra em Chopinzinho. Ele foi preso em sua residência e está a disposição da justiça.