A Polícia Civil de Capanema, no Sudoeste do Estado, alerta para uma modalidade de golpe que vem crescendo na região. Trata-se do golpe realizado através de sites de venda, com grande incidência no OLX.

O golpe se dá da seguinte forma:

  1. Uma pessoa interessada em vender seu veículo o anuncia em um site de vendas, por exemplo, o OLX.
  2. O golpista copia o anúncio do vendedor verdadeiro, fazendo um novo anúncio falso com valores bem abaixo do praticado pelo mercado.
  3. Face o baixo valor de anunciado pelo bem, alguém entra em contato com o golpista, o qual diz que o veículo não está com ele, mas sim com terceira pessoa (a que fez o anúncio verdadeiro), dizendo que essa pessoa está lhe entregando o veículo para pagar alguma dívida, por exemplo.
  4. O golpista promove o encontro entre o dono do veículo (anunciante verdadeiro) e o interessado na compra, porém orienta ambas as partes a não dizerem nada sobre os valores a serem pagos. Ao anunciante verdadeiro diz que usará o veículo para pagar uma dívida com a pessoa que irá ver o veículo. Ao interessado na compra, diz que a pessoa que está com o veículo possui uma dívida com o golpista, sendo que entregará o veículo para quitá-la.
  5. Após o encontro, o golpista voltava a entrar em contato com o interessado e começava a negociar os valores do veículo, como se fosse o verdadeiro dono do carro. Por fim, dava uma conta bancária para receber o dinheiro.
  6. O comprador entrega o dinheiro e o golpista some.

O golpe tem ocorrido em todo país, já com alguns registros na região sudoeste. Os golpistas, geralmente, estão presos em diversos estados da federação, o que dificulta a ação policial. Nesse caso, a Polícia Civil orienta as pessoas para ficarem atentas aos anúncios de internet, sendo que quando forem ver o veículo anunciado, pergunte se a pessoa é a dona do mesmo, dizendo sobre os valores anunciados.

Sempre é importe perguntar sobre a pessoa que anunciou. Desconfie de propostas muito vantajosas e de pessoas que anunciam veículos com números de fora da região em que este se encontra.

Fonte: Polícia Civil de Capanema