O acusado do assassinato do taxista palmense, João Banack, em janeiro de 2003, terá que cumprir 44 anos de prisão pela morte de outro taxista em Ipumirim, Santa Catarina. Em 27 de junho  2009, o corpo de João Zanella,74, foi encontrado em uma via secundária da SC-465, que liga Ipumirim a Arabutã, após ser  degolado e ter o carro, um Fiesta, roubado.

O palmense Maurílio Sebastião Fabrício, 26, que aos 16 anos matou o ex-vereador palmense,  teve negado o recurso interposto pela sua defesa junto Tribunal de Justiça de SC, que  manteve a condenação total. A Terceira Câmara Criminal do TJ/SC no ano de 2010 já havia  reformado a pena, passando de 46 anos e oito meses para  44 anos e dois meses de cadeia e a defesa buscava redução ainda maior da pena.

Após matarem o taxista em Ipumirim, Maurílio em companhia de Juliano Pereira, natural de Xavantina, jogaram o corpo da vítima às margens da rodovia e seguiram com o carro da vítima até Faxinal dos Guedes, onde estupraram uma mulher. Os dois acabaram sendo presos naquela cidade e posteriormente levados a julgamento onde foram condenados.  Em 2011, depois fugir do presídio, Maurílio foi preso novamente por policiais de Palmas e Abelardo Luz, quando se encontrava foragido nesta região.

Com a negativa do Tribunal de Justiça, Maurílio Sebastião Fabrício  e Juliano Pereira, condenado a 41 anos, continuarão cumprindo pena em presídio catarinense.