Na próxima quinta-feira, 1º de junho, será realizado, no Tribunal do Júri de Francisco Beltrão, no Sudoeste do estado, o julgamento de um homem de 23 anos, suspeito de matar a ex-namorada na presença do próprio pai. O crime ocorreu no início do ano passado. A sessão está marcada para as 9 horas.

De acordo com a denúncia, apresentada pelo Ministério Público do Paraná, por meio da Promotoria de Justiça de Francisco Beltrão, na noite do dia 2 de março de 2016, o denunciado entrou na casa de sua ex-namorada, com quem manteve relacionamento de três anos, localizada no bairro Pinheirinho, e atirou no atual companheiro dela. O acusado atingiu o homem com dois tiros, mas como o socorro foi prestado de forma imediata, ele sobreviveu. Em seguida, atirou contra a ex-namorada que, atingida no tórax, não sobreviveu. Por fim, disparou contra o pai da ex-companheira, que também conseguiu se salvar.

Na denúncia apresentada, o MPPR sustenta que o acusado, por não aceitar o fim do relacionamento, já havia ameaçado a ex-namorada diversas vezes, inclusive de morte. Como o crime envolve violência doméstica e familiar, se deu em decorrência de relacionamento e foi praticado pelo fato de a vítima ser mulher, a Promotoria de Justiça apresentou aditamento à denúncia por homicídio, incluindo a qualificadora de feminicídio.

O suspeito foi denunciado por dupla tentativa de homicídio qualificado (contra o atual namorado e contra o pai da vítima), por motivo torpe (por ele não se conformar com o fim do relacionamento e pelo crime ser praticado mediante recurso que dificultou a defesa da vítima, visto que ele agiu de surpresa ao entrar repentinamente na casa), por feminicídio (o homicídio se qualifica por ter sido praticado contra a mulher por razões da condição de sexo feminino). Também foi considerado na denúncia o fato de a mulher ter sido morta na presença do pai.

O homem encontra-se atualmente preso no Setor de Carceragem da 19ª Subdivisão de Francisco Beltrão.