A construção de um presídio na região Sul do Paraná é discutida há muito tempo, porém, a indisponibilidade de um local para a construção e o receio de parte da população em contar com tal estrutura têm levado o assunto para longe de uma solução.

O governo de estado garante que tem R$ 35 milhões para a obra, recursos oriundos do governo federal.

A primeira opção para a construção seria União da Vitória, que por duas vezes tramitou em sua Câmara de Vereadores, projetos de lei para doação de um terreno para essa finalidade.

No inicio deste ano, foram realizadas audiências públicas em União da Vitória e Paulo Frontin. Em União, representantes da Secretaria de Segurança Pública cobraram a disponibilidade do terreno. Em Paulo Frontin, populares fizeram um abaixo-assinado, manifestando-se contrários à construção.

Agora, o município de General Carneiro entra no páreo. A questão foi levantada pela Câmara de Vereadores, com apoio de todos os seus integrantes.

Apontando que a presença da estrutura prisional poderá representar aumento de efetivo policial e, consequentemente, mais segurança à comunidade, os parlamentares deverão organizar uma audiência pública para debater o assunto com a população do município.

Outro ponto levantado pelos vereadores, é a geração de empregos, tanto diretos como indiretos, desde o período de construção até a operacionalização da unidade prisional.