As Conferências Municipais dos Direitos da Criança e do Adolescente, realizadas nacionalmente, constituem-se em importantes instrumentos de mobilização, identificação e discussão dos problemas e deficiências existentes na estrutura de atendimento à criança e ao adolescente em âmbito municipal, bem como de encaminhamento de propostas para sua solução. Em Francisco Beltrão, a mesma aconteceu nesta quarta-feira, 16, no auditório Carlos Maes da Unioeste, organizada pelo Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e a administração municipal, através da secretaria municipal de Assistência Social.

Na cerimônia de abertura, a frente de honra foi composta pelas seguintes autoridades: prefeito Cleber Fontana com a primeira dama Joice; Nádia Bonatto, diretora da secretaria municipal de Assistência Social; Erick Kulyk da Silva, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente; Deivid Ouriques, presidente do Conselho Tutelar; Atanázia Hellmann Pedron, coordenadora regional da secretaria estadual da Família e do Desenvolvimento Social; Kelly Cristina dos Santos, representante dos adolescentes; Capitão Rizzi, representante do comando do 21º Batalhão da Polícia Militar; psicóloga Eliane Fátima Menegazzo, representado o Juizado da Infância e da Juventude; assistente social Denise Silveira, representando a Vara da Infância e da Juventude da Promotoria Pública; e a palestrante Etelda Madsen.

Em entrevista à Radio Onda Sul, o presidente do Conselho, Erick Kulyk da Silva, destacou as parcerias, um aspecto que merece atenção para que as ações sejam postas em prática. “A partir desta Conferência, estaremos formulando propostas com um grupo miscigenado envolvendo todos aqueles que atuam na área da infância e da juventude, entidades, saúde, esporte, lazer, cultura, também com a participação de estudantes adolescentes para estar fortificando estas estratégias de enfrentamento sobretudo contra a violência.”

O evento que começou às 8h com pausa para o almoço e término às 17h, contou com apresentações culturais, leituras, palestras, debates e aprovação do regimento interno.