O Juízo da Vara Criminal de Palmas, sul do Paraná, determinou o afastamento da função de um cartorário do Fórum da Comarca suspeito de cobrar propina de advogados e partes em processos cíveis e previdenciários. O pedido de intervenção do judiciário foi feito Ministério Público do Paraná.

Segundo apurou a 2ª Promotoria de Justiça da comarca, o funcionário do cartório exigia pagamento de valores indevidos como condição para expedição de alvarás e execução de outros atos cartorários.

Na mesma decisão, a Justiça deferiu pedido do Ministério Público, determinando busca e apreensão de objetos e documentos, especialmente o computador de trabalho do cartorário, que, além disso, está proibido de frequentar as instalações do cartório e de manter contato com as testemunhas do caso.