No tradicional café da manhã da ACEFB (Associação Empresarial de Francisco Beltrão), realizado todas as terças-feiras, assuntos importantes são debatidos com os empresários e participantes. Nesta terça-feira (15), a convidada especial, foi Emanuelle Carolina Baggio, Delegada da Delegacia da Mulher de Francisco Beltrão, que na oportunidade falou sobre injúria e difamação nas redes sociais e também sobre a comemoração dos quatro anos  de instalação da Delegacia da Mulher, no município. Ao todo, já são quase 3.000 ocorrências atendidas ao longo desses quatro anos.

Os crimes através das redes sociais vem sendo cada dia mais recorrentes, inclusive em Francisco Beltrão, e a Delegada orientou sobre os procedimentos e explicou as consequências desses atos. “Infelizmente as pessoas tem utilizado as redes sociais para ofender o próximo e evidentemente essas ofensas podem ser investigadas e responsabilizadas. Os crimes mais comuns que a gente observa nas redes sociais, são injúria e a difamação. Quando essas pessoas percebem esses crimes direcionados a elas nas redes sociais, é importante que tirem print das mensagens e da página que fez a postagem, onde consta o http:// e o nome da pessoa ao final, é aquilo ali que é a identificação da pessoa na barra de ferramentas, é a partir dali que conseguimos iniciar uma investigação. O autor do fato pode ser condenado criminalmente e nada impede que conjuntamente essa pessoa seja acionada para uma eventual responsabilização por danos morais”.

Neste mês de outubro, a Delegada e a sociedade beltronense, comemoram os quatro anos da instalação da Delegacia da Mulher, em Francisco Beltrão. Emanuelle, afirma que são quase 3.000 ocorrências atendidas ao longo dos anos, no município. “Hoje, nós completamos quatro anos da instalação da Delegacia da Mulher, foi uma luta muito grande da sociedade beltronense com o apoio da prefeitura e da câmara de vereadores. Nos percebemos que ao longo desses quatro anos, a cada ano aumentou o número de denúncias, mas também percebemos que essas mulheres estão atingindo um nível de conhecimento sobre aquilo que elas podem registrar e como elas podem reagir, pra nós isso é muito positivo. É evidente que a gente ainda espera, um dia, que essas denúncias comecem a diminuir e a delegacia não seja mais necessária, mas infelizmente até o momento é necessária. Nesses quatro anos nós tivemos mais de 2.700 registros de ocorrências, mais de 2.200 inquéritos instaurados, 82% desses inquéritos já foram encaminhados ao judiciário e concluídos, então o nosso índice de resolução é bastante satisfatório, mas o volume vem aumentando, infelizmente”.

Confira o áudio na íntegra: