A Administração Municipal de Coronel Vivida, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, confirmou a mobilização contra o femincídio para esta quarta-feira (05). Inicialmente, o ato estava marcado para a última terça-feira (28), porém, o tempo chuvoso impediu. A ação foi motivada após dois recentes assassinatos que vitimaram mulheres no município.

Aline Canova, Assistente Social, explica que o objetivo é reunir a população para que cada um possa contribuir para que casos como esses sejam evitados. “Todos são convidados sejam homens ou mulheres, esperamos também a presença de muitos jovens, pois todos precisam pensar sobre as formas de acabar com a violência contra a mulher, que tem chegado ao extremo, causando a morte de muitas”, salienta Aline.

Os dois casos que motivaram a mobilização vitimaram Ediane dos Santos Martins, 27 anos, que foi morta a tiros, em frente sua filha, no dia 10 de maio, por um homem que havia reatado o relacionamento na mesma semana e, no segundo caso, Ivonete dos Santos, 42 anos, que foi assassinada, a facadas, pelo ex-convivente, no último dia 26.

Mesmo com toda a comoção da sociedade em torno do assunto, ainda vivendo o luto de Ivonete e organizando a mobilização que seria realizada no dia 28, outro caso de violência foi registrado no dia 27 de maio. A Polícia Militar recebeu denúncias de que uma mulher estava sendo agredida dentro de casa e, ao verificar a situação, o convivente negou os fatos, até que a mulher saiu do quarto e mostrou os machucados, inclusive com hematomas na região dos olhos. Eles foram encaminhados à Delegacia de Policia Civil de Pato Branco para as devidas providências.

A Secretária de Assistência Social e presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Mulher – CMDM, Carmen Fraron, espera que a ação seja reflexiva e alcance os resultados esperados. “Nós da Administração Municipal e do ‘Conselho da Mulher’, percebemos que não se pode mais ficar calado, diante dessa onda de violência, muitas vezes presenciada pela família que se perpetua com o trauma causado nos filhos e nos netos. Esperamos sim, um momento de reflexão para todos e que ações possam ser realizadas após essa iniciativa”, disse Fraron.

A mobilização está marcada para iniciar às 14h, saindo da praça Ângelo Mezzomo (Prefeitura), passando pela Avenida Generoso Marques e se concentrando na praça Getúlio Vargas.

Fonte: Assessoria de comunicação de Coronel Vivida.