delegado
  • Compartilhe no Facebook

Delegado concede entrevista coletiva para explicar o fato.

Ontem, 05, se apresentou na delegacia de polícia civil de Francisco Beltrão, o jovem  Rafael Bertolo, 22 anos, que assumiu o atropelamento ocorrido no primeiro dia do ano, na rua tenente Camargo, centro de Francisco Beltrão e resultou na morte da pedestre, Mariza Jandira Lemes Muniz Felisbino, 40 anos.

A polícia havia anunciado que estava próximo de elucidar o caso, mas Rafael, acompanhado do advogado, compareceu espontaneamente à polícia. O fato ocorreu na quinta-feira, 01, exatamente às 6h10, pelo que foi apurado pelas câmeras de segurança de empresas próximas. A polícia já sabia também que era um Fiesta Hatch de cor preta.

Em depoimento, o condutor que reside na Linha Delani disse que naquela madrugada havia discutido com a namorada e estava a procura dela, que mora nas redondezas. Ele confirmou que entrou na contra mão, entretanto afirmou que a mulher estava caída na rua e ele só percebeu que bateu em alguma coisa, mas não sabia que era uma pessoa. O relato de Rafael coincide exatamente com aquilo que mostra as imagens.

O delegado David Ricardo Passerino, em entrevista, disse que “mesmo que a mulher estivesse caída, esta é a conclusão das investigações, ela estava viva e morreu devido ao atropelamento, o que não isenta o condutor de responsabilidade dos fatos, que ainda tem alguns agravantes, de estar contra a mão e ter fugido do local”.

O inquérito policial ainda não foi encerrado e os policiais buscam outros depoimentos e informações para fechar o caso.