O atendimento ao público pela Polícia Civil da Comarca de Palmas, sul do Paraná, deixará de ser prestado na atual Delegacia, que ficará exclusivamente destinada ao serviço carcerário e trabalhos operacionais.

A mudança foi alternativa encontra pelo Delegado e outros organismos da sociedade, vinculados à questão de segurança pública no município,  após tentativa de fuga seguida de rebelião na Cadeia Pública, que fica anexo. Temendo novas ocorrências do gênero, o que poderia comprometer a segurança da população, foi solicitado o apoio da administração que assumiu o pagamento de aluguel de um novo espaço, inclusive mais centralizado.

Na atual estrutura continuarão sendo realizados os trabalhos de plantão, investigação. A  guarda dos detentos deve ser realizada pelo Departamento Penitenciário(DEPEN), que deverá designar novos servidores para a função.

A Câmara de Vereadores aprovou Projeto de Lei do Executivo autorizando convênio do município com a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Previdenciária (SESP) com prazo de doze meses. O objetivo é a cessão de uso gratuito para fins de instalação temporária da Delegacia de Polícia Civil de Palmas, em imóvel  para o atendimento ao público.O Diário Oficial do Município(DIOEMS) traz hoje(29) a publicação da Lei do convênio. Ainda não está definido o local. Há ainda a possibilidade que seja construída a Delegacia Cidadã em outro terreno.

Conforme a Legislação, Delegacia de Polícia tem como finalidade atendimento ao público e administração de operações policiais, investigações criminais e detenção temporária de suspeitos e presos em flagrante delito. A Cadeia Pública é destinada ao recolhimento, em caráter provisório, de acusados pelo crime, mas que ainda não foram julgados. Definidas as respectivas penas devem ser transferidos para uma penitenciária. O profissional que tem a função de custodiar e guardar os detentos é o Agente Penitenciário e não o policial civil.