Após cerca de 13 horas de júri, Alef Jesus dos Santos acusado de tentativa de homicídio contra policiais militares em Coronel Vivida foi condenado em 12 anos de reclusão. Os jurados acataram a tese da acusação e pediram a condenação por emboscada e tentativa de homicídio contra três policiais.

A defesa alegou falta de provas e pediu a pena mínima apenas por disparos de arma de fogo, entendendo que não havia provas de que o réu armou uma emboscada e nem que atirou para acertar os policiais. Presidiu o júri a Meritíssima juíza de direito, Dra. Lívia Simonin Scantamburlo, na acusação, o Promotor de Justiça, Dr. Tiago Vacari e na defesa dos réus o advogado, Dr. Anderson Manique Barretto.

Relembre o caso.

Na madrugada do dia 13 de setembro de 2014, a Polícia Militar teria sido chamada para atender uma briga entre duas pessoas, que estariam brigando a facão na rua em frente ao cemitério Vale da Paz.

Ao chegar no local relatou os policiais encontraram dois indivíduos próximo a um poste, quando então, saiu de trás do muro do cemitério uma terceira pessoa, que seria o Alef, com arma de fogo em punho e atirando na viatura que se aproximava. Os PMs conseguiram dar marcha ré e ao mesmo tempo revidou o ataque, disparando várias vezes contra a pessoa que atirava em direção a viatura, não acertando nenhum tiro. Naquele momento, mais duas viaturas chegaram, mas os agressores fugiram.