O réu Adanilson Bordin, que esfaqueou o taxista Clari Tonello, 52 anos, no dia 23 de maio de 2011 foi julgado pela justiça nesta sexta-feira (02). O júri ocorreu no auditório da prefeitura, em virtude de não haver espaço adequado no Fórum da Comarca. O julgamento teve início às 09 horas da manhã e encerrou no final da tarde.

Adanilson foi condenado pelo crime de tentativa de homicídio há 09 anos e quatro meses de reclusão. Ele estava preso desde a data do fato, em 2011, e aguardava julgamento na Penitenciária Estadual de Francisco Beltrão onde vai cumprir a pena.  O júri aconteceu dentro da normalidade.

O fato:

Adanilson Bordin solicitou uma corrida na noite do dia 23 de maio, por volta das 22 horas. Inicialmente queria ir até Salgado Filho, mas antes de sair de Francisco Beltrão mudou de ideia e pediu pra ser levado até a casa de um amigo no interior de Renascença. Quando chegou, armado com uma faca, deu voz de assalto.

O taxista reagiu e foi ferido a golpes de faca, mesmo assim conseguiu retornar a Francisco Beltrão onde comunicou a polícia. Adanilson foi encontrado logo em seguida em uma propriedade na linha XV de Novembro, interior de Renascença. Com ele foram apreendidos alguns objetos furtados.

Inicialmente se apresentou à polícia com o nome de Volmir Brustolin, 32 anos, mas uma investigação feita por policiais da 19ª SDP (subdivisão Policial) descobriu que esse não era seu nome verdadeiro. Também foi verificado que o acusado respondia por homicídio, tentativa de homicídio e roubo no Rio Grande do Sul, além de ser foragido da Penitenciária de Porto Alegre (RS).