O Serviço de Investigação de Crianças Desaparecidas da Polícia Civil do Paraná recebeu 115 comunicados de desparecimentos neste ano., o que resulta em um média de 18 desaparecimentos por mês. Foram 13 ocorrências em Curitiba, 16 na Região Metropolitana e 86 no restante do Paraná. Os dados foram divulgados pelo órgão ontem. A maioria é de crianças com idade entre 9 a 11 anos, com 77 ocorrências, o equivalente a quase 67% do total registrado. Os dados apontam ainda que 66% dos desaparecimentos de 2019, ou seja, 76 casos, são de meninos.

A boa notícia é que o Sicride, que completa 24 anos, resolveu 100% dos casos do primeiro semestre deste ano solucionados. Desde que o Sicride passou a fazer o controle estatístico, em 1996, as taxas de elucidação de desaparecimentos de crianças sempre foi alta, acima de 98%. No ano passado, todos os 430 casos registados foram solucionados. Segundo a delegada-chefe do serviço, Patrícia Paz, o alto índice de elucidação dos casos está diretamente relacionado à rápida resposta da polícia. ““Nossa delegacia é especializada. Temos policiais de plantão de 24h por dia. E todo boletim de ocorrência registrado no Paraná que envolva desaparecimento de crianças de até 12 anos vem imediatamente para o nosso sistema. Iniciamos as buscas, nossa resposta é muito ágil”, diz ela.

No auxílio às investigações, a delegacia também conta com o Projeto Progressão de Idade, trabalho que permite que os agentes e a população tenham uma ideia de como está a aparência atual da criança, mesmo que tenha se passado um longo período desde o desaparecimento. Para esse trabalho são recolhidas todas as fotografias da criança disponíveis, além de fotos dos pais em diversas idades. O perfil da cabeça da criança é estudado e, a partir daí, procura-se desenvolver a evolução até a data pretendida.

Prazo de 24 horas para comunicar à polícia é mito
A delegada-chefe reforça que a prevenção é fundamental para evitar o desaparecimento de crianças. ““É muito importante a conscientização de pais e filhos. No caso dos bem pequenos deve-se tomar cuidado em locais próximos de rios e com muita concentração de pessoas. Com os maiores é preciso prestar atenção em mudanças de comportamentos e rotinas”, destaca”.Ao menor sinal ou suspeita de desaparecimento é essencial informar uma delegacia da Polícia Civil o mais rápido possível. ““É fundamental que ao primeiro sinal de que seu filho desapareceu, ou tão logo tome conhecimento, que seja registrado o boletim de ocorrência na delegacia de polícia mais próxima para que tenhamos de pronto a informação”, destaca a delegada.

Ela explica também que é possível informar a equipe do Sicride antes de fazer o boletim de ocorrência. O B.O. deve ser registrado mesmo após esse contato direto. A informação pode ser passada pelo telefone (41) 3270-3356 ou pelo e-mail [email protected], além do telefone 181 (Disque Denúncia). A população pode utilizar esses mesmos canais para comunicar ter visto alguma criança que precisa ser localizada.

Patrícia reforça que tão importante quanto informar o desaparecimento é comunicar a polícia caso a criança seja encontrada. ““É comum a criança desaparecida ser encontrada por um familiar ou acabar voltando sozinha para casa. Nesse momento, se o registro de desaparecimento foi feito, é crucial que a polícia seja informada para que possa encerrar o trabalho e concentrar esforços em quem ainda está desaparecido”.

 

Fonte: Bem Paraná.