Você já ouviu falar em acupuntura e auriculuterapia? Então vá se acostumando, pois estas terapias serão, em breve, ofertadas pela saúde básica de Chopinzinho, integrando às práticas como complementares aos tratamentos. Ambas vêm da Medicina Tradicional Chinesa, são terapias integrativas e preconizadas pelo SUS.

Podem se beneficiar das práticas pacientes com hipertensão, insônia, dores crônicas, depressão, ansiedade, stress, dentre outras situações. “No primeiro momento, os profissionais vão atender aos servidores, em especial aos Agentes Comunitários de Saúde. A partir disso, e expande para grupos e programas (como Melhor em Casa, pacientes de CAPS e grupos de dor) e depois, segue para toda a população”, explica a Secretária de Saúde, Vilmarize Buffon. Os primeiros atendimentos já estão sendo realizados e tendo retorno positivo dos pacientes.

As terapias são de baixo custo e trazem muitos benefícios aos pacientes. A acupuntura funciona usa técnica com agulhas, que segue pontos específicos ao longo do corpo, de acordo com a patologia. Já a auriculuterapia é feita com sementes de mostarda aplicadas na orelha, com estímulo. Ambas funcionam a nível neurológico e causam efeitos no organismo, de grande abrangência, por consideraram o paciente como um todo, órgão por órgão.

Outra vantagem é de que o Município já conta com 4 profissionais habilitados para aplicarem as técnicas em seu próprio quadro de servidores: as fonoaudiólogas Caroline Pan e Fabíola Pan e os enfermeiros Adalgisa Beluzo e Fábio Andreolli. “A nossa medicina ainda é bastante voltada para o tratamento medicamentoso. Já a chinesa associa os medicamentos, trabalhando o corpo e a mente como um todo. O uso de técnicas alterativas pode contribuir de várias formas: melhorar o bem estar do paciente, de forma geral, e, também, reduzir o uso de medicamentos e exames”, explica a enfermeira, pós-graduada em acupuntura, Adalgisa Beluzo. É importante ressaltar que as terapias são utilizadas em conjunto, como reforço no tratamento medicamentoso e não substitutivas.

A ideia para o projeto surgiu a partir de conhecer uma experiência exitosa em outro Município, em um congresso na cidade de Cascavel. Por não precisar de grandes investimentos e ter os profissionais habilitados, o projeto foi adiante. Uma das expectativas é incentivar mais profissionais a se capacitarem, para ampliar cada vez mais o serviço.

Fonte: Assessoria