O objetivo é disciplinar e evitar o acionamento e uso dos veículos de atendimento de saúde desnecessariamente.  É nesta época que aumentam os chamados para atender pessoas caídas pelas ruas pela ingestão em demasia de álcool.

O Ciruspar – Consórcio Intermunicipal de Urgências e Emergências –  salienta que ao ser acionada a unidade para atender um caso sem necessidade, atrapalha e impossibilita que pessoas que realmente precisam do serviço fiquem prejudicadas.  “Os solicitantes são os olhos do médico no local. Quem ligar para o 192 deve informar a real situação da vítima, para que as ambulâncias sejam enviadas nos casos que precisam mesmo”, esclarecer a assessoria de imprensa.

A orientação é de que antes de acionar o 192, é necessário certificar  se a vítima está realmente está precisando de atendimento médico; verificar se a pessoa não está apenas descansando e averiguar se já não está aguardando por alguém.