Passado três dias do anúncio de quebra de contrato do sobreaviso e desligamento do SUS (Sistema Único de Saúde), o Hospital Policlínica Chopinzinho, entrou num acordo com o Governo do estado, o qual resolveu a destinação de verba para o custo de serviço prestado na urgência e emergência.

+ Prefeito busca apoio do estado para resolver impasse com hospital

+ Clima esquenta durante debate sobre saúde na Câmara de Vereadores

Na manhã desta quinta-feira (28) durante entrevista coletiva, o Diretor da 7ª Regional de Saúde de Pato Branco, Nestor Werner Junior, afirmou que um novo contrato será feito e com novos valores, “o novo valor está aprovado, é uma política que o governo do estado está implantando e foi até publicada”.

Agora a entidade passa a receber R$ 110 mil por mês, o contrado deve ser assinado dentro de 15 dias, “a gente vai monitorar dia a dia, porém o prazo estabelecido está dentro da possibilidade de ser comprido. Vamos até conseguir fazer uma redução do prazo porque a conversa está bastante adiantada”, frisa Werner.

Entrevista coletiva / Foto: Francione Pruch
  • Compartilhe no Facebook

Entrevista coletiva / Foto: Francione Pruch

O hospital atende além de Chopinzinho, pacientes de São João, Saudade do Iguaçu e Sulina. Segundo Rogério Masetto, prefeito de Chopinzinho, “houve bastante diálogo e isso foi importante. Debatemos propostas de composição financeira para que o hospital não venha a fechar as postas no município e deixar de atende à população pelo SUS”.

Agora a direção da Policlínica fica no aguardo dos documentos, “foi realizada uma proposta que será colocada no papel dentro de 15 dias. É claro que desejamos continuar com o serviço, nosso objetivo não foi criar confusão, e sim, uma solução para o problema da saúde. Espero que tenhamos esse documento que vai nos dar garantia para que o corpo clínico se motive e volte trabalhar”, comenta João Carlos Guarienti, Médico e um dos Diretores do hospital.

O aviso de descredenciamento do SUS, a diretoria manteve. Se o governo do estado não cumprir os acordos, dentro de 90 dias o Hospital para de atender pelo Sistema Único de Saúde.