A reativação em Palmas, sul do Paraná, da Unidade de Coleta e Transfusão  voltou a ser discutida na reunião do Conselho Municipal de Saúde na tarde de terça-feira(12). Já há manifestação e apoio à proposta por parte de vários órgãos ligados à saúde e de lideranças políticas do município. Desde o ano passado a reativação vem sendo amplamente discutida em várias instâncias e segmentos. A unidade  que foi referência estadual pela qualidade do sangue coletado e pelo alto índice de aproveitamento, funcionou no período de 1995 a 2009, permanecendo no município, desde então, apenas uma agência transfusional junto ao hospital local.

Conforme o presidente do Conselho Municipal – entusiasta pela retomadas das atividades, –  Dr. Célio Schernoski Ribas, já há manifestação positiva da  7º Regional de Saúde, Superintendência da Secretaria Estadual de Saúde, Departamento Saúde e dos Poderes Legislativo e Executivo.

Ontem, Ribas, relatou o resultado de uma reunião na capital do estado, na última semana, com o Superintendente Estadual, Paulo Almeida, em que este manifestou total apoio ao reinício das atividades do banco. “O superintendente demostrou o máximo interesse visto que Palmas já tem todo um histórico,estrutura profissional e conhecimento de como operacionalizar a unidade”, salientou.  Avaliou que basta agora definir um local adequado que atenda as exigências de sanidade para que o serviço seja retomado. “É apenas uma questão de tempo”, disse.

O diretor do Departamento de Saúde, Eduardo Amorim, explicou que a retomada do banco é resultado de um esforço conjunto com o Conselho Municipal de Saúde.Documentos já foram encaminhados para a regional que já manifestou apoio total a iniciativa palmense. “ A possibilidade de reativação é muito grande, agora vamos dar andamento ao trabalho”, avaliou Amorim.

Presidente do CMS destaca necessidade de Palmas voltar a ter o Banco de Sangue