A Vigilância Sanitária(VISA)  começa a implementar hoje(27) o  programa de controle da população canina em Palmas, sul do Paraná. A medida objetiva  evitar  problemas de saúde pública, bem como impedir ataques  de  animais animais doentes ou abandonados.De acordo com mapeamento realizado pelo órgão, aproximadamente 15 mil cães que  perambulam pelas ruas da cidade  deverão castrados para conter a reprodução.

Elaborado desde o início do ano, o programa inicia hoje a fase de cadastramento dos chamados tutores voluntários que  estarão encaminhando os animais para a cirurgia, bem como farão o acompanhamento no pós operatório e participarão do processo de doação. “O tempo em que os cães ficarão com os tutores após a cirurgia  é de aproximadamente três dias”, explicou a  a chefe da Divisão, Renata de Medeiros Truiti.

O cadastro dos voluntários deve ser feito na VISA, no andar superior do rodoviária de Palmas. “ Os tutores deverão comparecer pessoalmente uma vez que deverão assinar um termo de responsabilidade e o contrato de trabalho voluntário”, explicou

Destacou que já há uma parceria com  a especialista em comportamento canino, Flávia Lopes, que irá auxiliar os tutores na reabilitação e educação dos cães, a fim de torná-los adaptados aos novos donos, após a doação.

Em Palmas, mensalmente são registrados entre 30 e 40 casos de pessoas  feridas por  ataques de cães em  que além de toda situação física e psicológica das vítimas, o município enfrenta  ainda o custo para o tratamento.  Há histórico de casos em  Palmas em que necessária até mesmo a realização de cirurgias plásticas  por conta da gravidade dos ferimentos provocados.