Masetto e Werner Foto: Assessoria
  • Compartilhe no Facebook

Masetto e Werner Foto: Assessoria

Após o anúncio do Hospital Policlínica Chopinzinho, colocar um fim na renovação do contrato de sobreaviso, e dentro de três meses fazer o descredenciamento de atendimento via Sistema Único de Saúde (SUS). O prefeito Rogério Masetto (PV) e o Secretário Municipal de Saúde Ivo Liciano Leonarchik, estiveram hoje (26) em Pato Branco para buscar apoio do estado, através da Regional de Saúde.

+Atendimento de saúde em jogo

O principal entrave está no repasse de verba para custear o sobreaviso. Segundo a direção do Hospital, há 14 meses o dinheiro não é repassado e a dívida ultrapassa R$ 1 milhão. O estado firmou parceria com o município para o repasse em 2013, o pagamento foi efetuado até o começo de 2015. Era destinado mensalmente R$ 60 mil, depois passou a R$ 80 mil para manter os serviços ligados a urgência e emergência.

Segundo o Diretor da 7ª Regional de Saúde de Pato Branco, Nestor Werner Júnior, a paralisação do pagamento, “ocorre que no ano passado, quando acabou a vigência do convênio, tivemos uma lei que tentou disciplinar os repasses dos estados aos municípios, e por um ano foi amplamente discutida. A saúde foi excluída desta lei e alguns procedimentos tiveram que ser revistos. Não sendo possível fazer renovação do convênio que tínhamos com Chopinzinho”.

Em busca de uma nova proposta que atendesse a legislação vigente e contemplasse os repasses ao hospital, “há mais de um mês foi publicada uma resolução, deliberação da comissão intergestores de partido do Paraná, colocando um incentivo financeiro para os municípios, para que fosse repassado nas questões hospitalares de urgência e emergência. Tendo aumento, passando de R$ 80 mil para R$ 110 mil. Essa questão é burocrática, ela passa de ser transferência voluntária, para ser automática”.

Sobre o pagamento da dívida atrasada, Werner adiantou, “os atrasados, precisamos discutir, contabilmente é uma questão que não existe. O convênio expirou, foi um tempo predeterminado e não existe um passível contábil”.

Werner vai se reunir com os diretores do hospital nesta quarta-feira (27) e uma audiência será marcada com o Governador Beto Richa, onde os prefeitos dos quatro municípios afetados pelo atendimento do Hospital vão relatar o problema e buscar uma solução.

 

https://www.youtube.com/watch?v=pLBsDlMMBXo