Mesmo com a estatística nacional de 33,5 casos por 100 mil habitantes, em Palmas, sul do Paraná, não há casos de pacientes com tuberculose. O dado foi revelado nesta terça-feira(24), Dia Mundial de Combate à doença.

Conforme o Setor de Epidemiologia do município, o último caso foi de um paciente que concluiu o tratamento ainda no ano passado. Para o órgão, isso não significa que o município esteja livre da doença e que cuidados sejam desnecessários. “É necessária sempre muita atenção aos sintomas”, recomenda o setor epidemiológico. Nos últimos dez anos, o Brasil reduziu em 22,8% a incidência de casos novos de tuberculose e em 20,7% a taxa de mortalidade pela doença.

O principal sintoma da tuberculose é a tosse por mais de três semanas, com ou sem catarro. Qualquer pessoa com esse sintoma deve procurar uma unidade de saúde para fazer o diagnóstico. São mais vulneráveis à doença as populações indígenas, presidiários, moradores de rua – estes devido à dificuldade de acesso aos serviços de saúde e às condições específicas de vida – além das pessoas vivendo com o HIV.

A tuberculose no geral é causada por uma infecção por Mycobacterium tuberculosis ou Bacilo de Koch. A transmissão é direta, de pessoa a pessoa. A pessoa com tuberculose expele, ao falar, espirrar ou tossir, pequenas gotas de saliva que contêm o agente infeccioso e podem ser aspiradas por outro indivíduo contaminando-o. Má alimentação, falta de higiene, tabagismo, alcoolismo ou qualquer outro fator que gere baixa resistência orgânica, também favorece o estabelecimento da doença.