O único hospital no município de Mangueirinha, Sudoeste do Paraná, está em situação financeira complicada. Defasagem na tabela do SUS e atrasos de repasses de convênio com o município estão comprometendo o funcionamento do estabelecimento. Conforme manifestação nesta terça-feira(21) na imprensa local[ Rádio Araucária] pelo médico, Pedro Pazio, funcionários e médicos plantonistas estão com salários atrasados, por conta da falta de repasses financeiros pelo município desde o final de 2015.

Explicou que, embora os valores repassados pelo governo federal do convênio com o Sistema Único de Saúde estejam defasados há pelo menos 10 anos, o Hospital São Judas Tadeu vem mantendo suas atividades no limite com o auxílio de recursos de outros convênios com instituições privadas. “Se uma dessas verbas falhar num mês, simplesmente o hospital entra em déficit, tem que emprestar dinheiro no banco, pagar juro, vira uma corrente”, disse ele.

Explicou que como o município vem atrasando os repasses por vários meses e isso está tornando inviável o funcionamento. “A gente trabalha no limite”, afirmou Pazio. Considerou que o hospital, embora privado, presta um serviço público e sem o repasse financeiro municipal já não está conseguindo comprar os medicamentos e pagar os funcionários em dia.