A partir de abril, os medicamentos deverão ficar 3,4% mais caros, segundo estima a Associação Farmacêutica de Pesquisa (Interfarma). Os valores ainda são preliminares, baseados em dados da inflação do mês de fevereiro.

Conforme a entidade, o Governo Federal avalia três tipos de medicamentos – remédios produzidos num mercado concentrado, produtos feitos em ambiente de média concorrência e aqueles com alta competição. O reajuste nos preços deve ficar entre 1,63% e 5% nessas três faixas de produto – média de 3,4%.

A Interfarma ressalta que o reajuste está abaixo dos índices inflacionários, além de o aumento praticado pelo mercado sempre ficar abaixo dos valores anunciados. O Ministério da Saúde deverá apresentar o índice de reajuste no dia 31 de março, vigorando a partir do inicio de abril.