A Carta da Saúde do Sudoeste chegou às mãos nesta quinta-feira (6) das principais autoridades e lideranças em saúde e dos deputados federais da bancada do Paraná. O feito aconteceu por intermédio de um grupo de lideranças do Sudoeste do Paraná que aproveitou a realização do Congresso Nacional de Secretários Municipais de Saúde, em Brasília, para fazer a entrega da Carta.

Além de apresentar o material, as lideranças enfatizaram alguns dos principais itens do documento que dependem do Ministério da Saúde para serem ajustadas como os demais estados do Sul. Liderados pelo prefeito de Bom Jesus do Sul, presidente da comissão de saúde da Amsop, Cezar Bueno, o grupo ainda contou com o reforço dos chefes da 8ª e 7ª regionais de Saúde (Francisco Beltrão e Pato Branco) Cíntia Ramos e Nestor Werner, e mais 25 secretários municipais de saúde. Também acompanhou o grupo o prefeito de Salgado Filho Beto Arise, e o prefeito de Santa Isabel do Oeste Moacir Fiamoncini. O presidente da Associação dos Municípios do Paraná (AMP) Marcel Micheletto também apoiou iniciativa.

Entrega

A Carta da Saúde Sudoeste foi entregue para o representante do Ministério da Saúde, o secretário Nacional de Vigilância em Saúde Antônio Carlos Nardi Figueiroa, e para o Secretário de Estado da Saúde Michele Caputo Neto, que se mostraram sensibilizados pelas reivindicações, comentou o prefeito Cezar. Também receberam o documento os deputados federais João Arruda, líder da bancada dos deputados do Paraná, Osmar Serraglio, Leandre Dal Ponte, Assis Miguel do Couto, Dilceu Sperafico, Enio Verri, Ricardo Barros, Alex Canziani, Rubens Bueno, Leopoldo Meyer, além de assessores de outros deputados e senadores.

Otimismo

O prefeito Cezar enfatizou a relevância do ato e da união de forças para ampliar e melhorar o atendimento em saúde para o Sudoeste. “Conseguimos concretizar a entrega da Carta da Saúde do Sudoeste para forças políticas importantes e que vão se unir a nossas causas, como a bancada do Paraná que é suprapartidária, mas que estão engajados com nossos anseios. Tenho certeza que demos um passo muito promissor para ampliarmos as conquistas, que nada mais são do que justas para a região”, frisou o prefeito de Bom Jesus do Sul.

Para Cíntia a iniciativa deve oportunizar a abertura de um caminho para se chegar aos itens que constam na Carta. Citou como exemplo os programas de atendimento de urgência e emergência, e o programa Cegonha, do Ministério da Saúde, que tem valores diferentes para algumas regiões, como o Sudoeste e Oeste. “Todas as exigências foram cumpridas e mesmo assim os hospitais que tem UTI e fazem os partos, por exemplo, recebem metade dos valores do que os hospitais de Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Mostramos para as lideranças que isso precisa ser corrigido para não perdermos os hospitais que querem se descredenciar do SUS”, explicou Cíntia, lembrando que com isso vai desonerar os municípios que estão pagando essa diferença.

Encontro definitivo

Na oportunidade a bancada do Paraná se comprometeu, junto com o secretário de Estado da Saúde, secretário do Ministério da Saúde e assessores, em participar de uma reunião definitiva no próximo dia 14 de setembro, em Curitiba. “Tivemos o comprometimento e a bancada do Paraná estará ao nosso lado para colocarmos um fim a essa disparidade”, afirmou Cíntia. O local ainda será definido, mas o secretário Caputo Neto ofertou a estrutura da secretaria para receber as lideranças.