Entre 2008 e 2017, a desnutrição matou 132 pessoas no Sudoeste do Paraná, sendo que 84% destes óbitos foram de pessoas com mais de 60 anos. As informações fazem parte de um levantamento exclusivo realizado pelo Setor de Estatísticas da Rádio Club de Palmas/RBJ junto ao Ministério da Saúde.

+ Desnutrição matou mais de 130 sudoestinos em 10 anos

Para identificar o número de mortes, o Ministério da Cidadania, que responde pelas atribuições do extinto Ministério do Desenvolvimento Social, orienta que a consulta ao Sistema Único de Saúde (SUS) seja feita por meio da causa “desnutrição” na classificação da CID-10 (Código Internacional de Doenças).

Em números absolutos, nos dez anos que abrangem a pesquisa, 111 idosos sudoestinos morreram por conta da desnutrição, sendo 12 com idades entre 60 e 69 anos, 27 com idades entre 70 e 79 anos e 72 anciãos com mais de 80 anos.

  • Compartilhe no Facebook

Em Francisco Beltrão, dos 25 óbitos por desnutrição registrados, 22 foram de idosos. Em Pato Branco, 14 vítimas tinham mais de 80 anos. Chopinzinho contabilizou sete óbitos de pessoas acima dos 60 anos.

  • Compartilhe no Facebook

Entre os idosos vítimas da desnutrição, 59 eram do sexo masculino e 52 do sexo feminino. A baixa escolaridade também é uma característica das vítimas, uma vez que 37 idosos não apresentavam qualquer nível de educação formal e 52 tinham, no máximo, três anos de instrução, segundo os dados levantados.

  • Compartilhe no Facebook

Os números levantados pelo Setor de Estatísticas da Rádio Club/RBJ, chamam atenção de uma região cujo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) médio (0,710) é considerado alto. Esse índice foi criado originalmente para medir o nível de desenvolvimento humano dos países a partir de diferentes indicadores, dentre eles o de longevidade, que na média dos municípios do Sudoeste é considerado muito alto, acima de 0,800.

Além disso, conforme projeções do Ipardes (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social), a população idosa do Sudoeste quase dobrará até 2040. De acordo com o instituto, atualmente a população sudoestina se aproxima dos 630 mil habitantes, dos quais 15,6% – cerca de 98,5 mil – são idosos. Em 2040, a região deverá ter uma população de 662 mil habitantes, sendo que os idosos, atualmente maiores vítimas da desnutrição, deverão representar quase 26% – mais de 171,9 mil – de todo o contingente populacional do Sudoeste.

*Foto: Arquivo/RBJ