O hospital São Francisco de Francisco Beltrão, único que atende pelo SUS , corre o risco de suspender os atendimentos nos próximo dias. Isso pode ocorrer se não houver um entendimento no repasse de recursos por parte dos municípios que se utilizam do serviço. “O hospital está na UTI”. A frase é da médica Pascoa Baptisti Minussi, que assumiu recentemente a direção administrativa do hospital e junto com colegas tenta evitar uma paralisação nos atendimentos feitos pelo SUS. Além de o valor recebido ser baixo, muitas prefeituras estão inadimplentes há vários meses. Esses fatores tem comprometido o atendimento, segundo a médica.

O hospital recebe atualmente dos municípios cerca de R$ 0,30 centavos per capita pra atender a população regional. Esse valor não condiz com a realidade e torna-se insuficiente para manter toda estrutura do hospital. Por isso a direção atual decidiu reajustar a tabela, elevando a valor para R$ 2,00 per capita. O novo valor será discutido nesta sexta-feira (26), quando a direção do hospital deve se reunir com prefeitos da região.

A administração municipal de Francisco Beltrão já tem conhecimento do reajuste e na semana passada se reuniu com diretores do hospital. O prefeito Antonio Cantelmo Neto aproveitou para agradecer a atenção que o hospital tem dado aos pacientes da região, mas defende a transferência dos atendimentos ao Hospital Regional do Sudoeste, que é público.

A diretora do hospital, no entanto não concorda por entender que o Hospital Regional cumpre com sua função e o São Francisco tem outro papel nesse processo de atendimento pelo SUS. O prefeito de Marmeleiro e vice-presidente da Amsop (Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná), Luiz Bandeira acredita que deve se buscar um entendimento. “Está ruim com o hospital nos atendendo, imagine sem ele como vai ficar, o São Francisco tem sido válvula de escape para toda a 8ª Regional de Saúde”, lembrou.