Nas últimas semanas o anúncio de descredenciamento do Hospital São Francisco, do SUS (Sistema Único de Saúde) tem preocupado a população de Francisco Beltrão. A direção do hospital solicitou nas esferas estadual e  federal o desligamento e esteve na segunda-feira (12) reunida com o legislativo para explanar a real situação da entidade.

Na oportunidade disse que o prazo de atendimento pelo SUS segue até 31 de julho. Com uma equipe de 192 colaboradores, mais da metade será dispensada com essa decisão, um total 100 funcionários. Sendo que até o momento três já foram dispensados da entidade.

A reunião foi fechada com vereadores, sem acesso da imprensa, mas segundo destacou um dos diretores à Rádio Onda Sul FM, ao término da conversa, para não deixar de atender pelo SUS, seria necessário dobrar o valor destino pelos 27 municípios da microrregional para que o atendimento permaneça sem prejuízos. Outra saída é que a ARSS (Associação Regional de Saúde do Sudoeste) alugue a estrutura do hospital e assuma a gestão.

O impasse permanece, a negociação prossegue na próxima semana. O prefeito Cleber Fontana (PSDB) esteve na manhã de terça-feira (13) na Onda Sul para explicar a situação por parte do município de Francisco Beltrão. “Temos também limitações. Não posso simplesmente dizer: olha, vê se tem mais dinheiro no caixa da prefeitura e paga mais o hospital. Para pagar mais precisa ter produção maior, ou acordo do Ministério, estado. Se a gente pagar a mais, quem vai responder uma ação civil pública, uma devolução de dinheiro é o prefeito”.

Segundo Fontana, toda a equipe está emprenhada em resolver a situação, agora o trabalho integra os prefeitos de outros municípios. “Todos estão emprenhados em ajudar a resolver. Agora não depende somente de Francisco Beltrão. Depende também da região, dos prefeitos dos 27 municípios que o hospital atende. Claro que a entidade precisa tem uma injeção maior de recurso, agora estamos vendo o quanto”.