O governador Carlos Massa Ratinho Junior autorizou nesta quarta-feira (8), em Pato Branco, o repasse de R$ 565 mil para aquisição de equipamentos e acessórios para o setor de radiologia do Hospital do Câncer da cidade.

O repasse vai ajudar a reestruturar o hospital para ampliar a sua capacidade de atendimento a pacientes do SUS, além de adequar o espaço para receber um acelerador linear – aparelho utilizado para tratamentos de ponta contra o câncer.

Os recursos do Estado complementam o investimento de R$ 4,2 milhões da Itaipu Binacional nesse acelerador linear. Ele foi comprado nos Estados Unidos e deve ser entregue na semana que vem.

O governador destacou que esse é um dos aparelhos mais modernos de tratamentos contra o câncer no mundo e que os recursos do Estado vão respaldar um trabalho comunitário que arrecadou mais de R$ 1 milhão para reestruturar o espaço destinado ao acelerador. “Esse é um projeto maravilhoso construído com a força da população. O mínimo que podemos fazer é colaborar para ampliar esse trabalho”, afirmou.

Ele também ponderou que o Paraná busca tratamentos mais humanos e avançados em todas as áreas médicas, principalmente nas de alta complexidade, e que tem uma preocupação permanente com a saúde regionalizada, mesmo num cenário de deficit anual nos repasses do Governo Federal na ordem de R$ 400 milhões. “Estamos contemplando o que é mais eficiente. Queremos melhorar os repasses aos hospitais filantrópicos e aqueles que prestam serviços para a saúde pública dentro de uma estratégia de levar atendimento mais perto das pessoas”, acrescentou.

O Hospital do Câncer, administrado pelo Instituto Policlínica PB, atende os 15 municípios da microrregião de Pato Branco e mais sete cidades da 3ª Regional de Saúde de Santa Catarina, com população estimada de mais de 300 mil pessoas.

A média atual é de 130 atendimentos por dia apenas no setor de radiologia. O segundo acelerador linear do hospital vai permitir dobrar esse tratamento específico para alcançar até 90 pessoas por dia. A unidade hospitalar trabalha anualmente com mil novos casos de câncer, e, somando os municípios do Sudoeste, são dois mil.

Fonte: AEN