Nesta sexta-feira, 31 de maio, é celebrado o Dia Mundial Sem Tabaco. A data serve para a difusão de ações para o combater ao vício. Em nível mundial, 7 milhões de pessoas morrem todos os anos em decorrência do tabaco, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Conforme o INCA (Instituto Nacional do Câncer), o tabagismo é reconhecido como uma doença crônica causada pela dependência à nicotina presente nos produtos à base de tabaco. No mercado nacional e internacional há uma variedade de produtos derivados de tabaco que podem ser usados de várias formas: fumado/inalado, aspirado, mascado, absorvido pela mucosa oral. Todos contém nicotina, causam dependência e aumentam o risco de contrair doenças crônicas não transmissíveis.

Dados do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (Centers for Disease Control and PreventionCDC) do Departamento de Saúde dos Estados Unidos, o tabagismo é responsável por cânceres como leucemia mielóide aguda; câncer de bexiga; pâncreas; fígado; colo do útero; cólon; reto; esôfago; rins; laringe; pulmão; boca; faringe; e estômago.

Com base nesse estudo, o Setor de Estatísticas da Rádio Club/RBJ buscou informações nas bases de dados do INCA, sobre o número de óbitos relacionados à esses tipos de cânceres em Palmas, Sul do Paraná.

Os materiais levantados pela reportagem referem-se aos últimos cinco anos com dados consolidados pelo Ministério da Saúde – 2013 a 2017. Salienta-se que a pesquisa aponta os tipos de cânceres cuja principal causa é o tabagismo, não significando que a totalidade das vítimas tenham sido fumantes.

Homens são maioria

Entre 2013 e 2017, 148 palmenses foram vítimas fatais dos tipos de cânceres citados acima. Desses óbitos, 91 (61%) foram de pacientes do sexo masculino.

  • Compartilhe no Facebook

Entre os homens, o câncer de pulmão foi o que registrou o maior número de mortes (17), seguido pelos cânceres de estômago (15) e esôfago (11).

O câncer de pulmão foi o que causou mais vítimas entre as mulheres, com 14 óbitos no período da pesquisa. Os cânceres de cólon e de colo do útero registraram 7 mortes cada.

  • Compartilhe no Facebook

 

No total, 31 palmenses morreram vítimas de câncer de pulmão, 20 de câncer de estômago e 16 de câncer de cólon – os três tipos de neoplasias com maior número de registros.

  • Compartilhe no Facebook

Idosos entre 70 e 79 anos são as principais vítimas

Do total de óbitos, 28% foram de idosos com idades entre 70 e 79 anos. A faixa etária dos 60 a 69 anos foi a segunda com o maior registro de mortes.

Entre os homens, 34% dos óbitos foram de pacientes na faixa dos 70 a 79 anos. Já entre as mulheres, 30% das vítimas tinham idade entre 60 e 69 anos.