O drama da carência de médicos  pelos pequenos municípios está refletindo fortemente em General Carneiro, sul do Paraná. Um médico foi dispensado pela administração e outros dois pediram demissão. Até mesmo o plantão do hospital local, que é publico de gestão municipal, está sem profissional fixo. 

Com a saída dos médicos, o número de consultas  atendidas caiu de 120 para 50 ao dia, para uma população de aproximadamente 14 mil habiantes.Conforme informou o setor administrativo do município no máximo 15 dias o quadro clínico deverá ser recomposto.

Conforme o secretário de saúde, Antonio Hamilton Correa, de vinte contatos estabelecidos com médicos, apenas quatro manifestaram interesse em atuar em General Carneiro. “Precisamos avaliar vários itens, como valores e históricos dos profissionais, porque não adianta contratar médico caro, e que atende mal os pacientes”, conclui.

Por conta da situação funcional e por contenção de gastos, o município adotou meio expediente no setor de saúde, atendendo das 08h00 às 12h30. Já a farmácia pública atende até às 15h00.