O último domingo de janeiro marca o Dia Mundial de Combate à Hanseníase, doença infecciosa transmitida por uma bactéria, conhecida como bacilo de Hansen. A contaminação acontece pelas vias aéreas superiores, por meio de espirros, tosse, fala e respiração.

Entre os primeiros sintomas estão as manchas pelo corpo, com alteração ou perda de sensibilidade local, fraqueza e dores nas articulações de braços, pernas, mãos e pés. A doença atinge pessoas de todas as idades e muitas vezes passa despercebida porque as manchas, seu sinal mais visível, não doem, não coçam, não incomodam.

O tratamento dura seis meses para os casos mais leves e 12 meses nos mais avançados, por isso, a enfermeira e coordenado do SAE/CTA de Francisco Beltrão, Lia Beatriz Henke, explica que é de fundamental importância o diagnóstico precoce e a divulgação de informações sobre a doença. Acompanhe: