No Paraná, o mês de agosto é dedicado à realização da Campana Agosto Azul, para incentivar a prevenção e a promoção da Saúde do Homem. O objetivo principal é motivar uma mudança cultural para que homens procurem atendimento médico e verifiquem sua condição de saúde com mais frequência, antes que doenças se manifestem de forma mais grave. Entre tantas outras doenças, o câncer de próstata ainda é uma das principais preocupações dos homens, principalmente depois dos 40 anos de idade.

  • Compartilhe no Facebook

Farmacêutica Caroline Munhoz

Esse foi o assunto abordado pela Farmacêutica, Caroline Munhoz, durante o quadro “Espaço Saúde” desta terça-feira (20), que vai ao ar semanalmente pela Rádio Onda Sul FM. Segundo, Caroline, o câncer de próstata é o mais frequente entre os homens, depois do câncer de pele. “Embora seja uma doença comum, por medo ou por desconhecimento muitos homens preferem não conversar sobre esse assunto. As estimativas apontaram 68.220 novos casos no ano de 2018. Esses valores correspondem a um risco estimado de 66,12 casos novos a cada 100 mil homens, além de ser a segunda causa de morte por câncer em homens no Brasil, com mais de 14 mil óbitos”.

A farmacêutica orienta que na presença de sinais e sintomas, seja feito exames. A doença é confirmada após fazer a biópsia, que é indicada ao encontrar alguma alteração no exame de sangue (PSA) ou no toque retal, que somente são prescritos a partir da suspeita de um caso por um médico especialista.

“A próstata é uma glândula presente apenas nos homens, localizada na frente do reto, abaixo da bexiga, envolvendo a parte superior da uretra (canal por onde passa a urina). A próstata não é responsável pela ereção nem pelo orgasmo. Sua função é produzir um líquido que compõe parte do sêmen, que nutre e protege os espermatozoides. Em homens jovens, a próstata possui o tamanho de uma ameixa, mas seu tamanho aumenta com o avançar da idade”.

Caroline Munhoz, destaca alguns fatores que podem aumentar as chances de um homem desenvolver câncer de próstata. São eles:
-Idade: o risco aumenta com o avançar da idade. No Brasil, a cada dez homens diagnosticados com câncer de próstata, nove têm mais de 55 anos;
-Histórico de câncer na família: homens cujo o pai, avô ou irmão tiveram câncer de próstata antes dos 60 anos, fazem parte do grupo de risco;
-Sobrepeso e obesidade: estudos recentes mostram maior risco de câncer de próstata em homens com peso corporal mais elevado.

“Está comprovado que uma dieta rica em frutas, verduras, legumes, grãos e cereais integrais, e com menos gordura, principalmente as de origem animal, ajuda a diminuir o risco de câncer, como também de outras doenças crônicas não-transmissíveis. Nesse sentido, outros hábitos saudáveis também são recomendados, como fazer, no mínimo, 30 minutos diários de atividade física, manter o peso adequado à altura, diminuir o consumo de álcool e não fumar”.

Segundo Caroline, os fatores que mais ajudam a prevenir o câncer de próstata estão: Ter uma alimentação saudável, manter o peso corporal adequado, praticar atividade física, não fumar e evitar o consumo de bebidas alcoólicas.

“Na fase inicial, o câncer de próstata pode não apresentar sintomas e quando apresenta, os mais comuns são: dificuldade de urinar, demora em começar e terminar de urinar, sangue na urina, diminuição do jato de urina e necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite”.

Confira o áudio da entrevista na íntegra: