Imagem: Divulgação
  • Compartilhe no Facebook

Imagem: Divulgação

Desde ontem (19) todos os municípios da região estão empenhados na Campanha Nacional de Multivacinação. Com a proposta de atualizar as carteirinhas, a campanha atende crianças menores de 5 anos e na faixa de 9 a 15 anos incompletos.

Informação da 7ª Regional de Saúde de Pato Branco, a qual compreende 15 municípios no sudoeste, a procura está sendo boa. Esta campanha não tem meta de vacinação, pois serve para colocar em dia a carteirinha de vacinação. O estado do Paraná recebeu 1,7 milhão de doses.

No município de Chopinzinho, a imunização acontece nos postos saúde da área urbana e também no interior do município, “precisamos que as pessoas venham à unidade de saúde munidas da carteira de vacinação e do cartão do SUS para a gente registrar as doses de vacina no sistema”. Comenta a Coordenadora de Epidemiologia de Chopinzinho, Lídia Posso. A campanha segue até 30 de setembro.

 

DIA D

Com o objetivo de atender as pessoas que não tem disponibilidade de levar seus filhos no horário comercial, as unidades de saúde estarão abertas sábado (24), a partir das 08 horas.

 

Novo calendário de Vacinação

No mês de janeiro, o Ministério da Saúde mudou o esquema vacinal de quatro vacinas: poliomielite, HPV, meningocócica C (conjugada) e pneumocócica 10 valente.

O esquema de imunização contra a poliomielite passou a ser de três doses da vacina injetável (2, 4 e 6 meses) e mais duas doses de reforço com a vacina oral. Até 2015, o esquema era de duas doses injetáveis e três orais.

Já a vacinação contra o HPV passou de três para duas doses, com intervalo de seis meses entre elas para meninas saudáveis de 9 a 14 anos. Meninas de 9 a 26 anos que vivem com HIV devem continuar recebendo o esquema de três doses.

No caso da meningocócica C, o reforço, que era administrado aos 15 meses, passou a ser feito preferencialmente aos 12 meses, podendo ser feito até os 4 anos. As primeiras duas doses continuam sendo realizadas aos 3 e 5 meses.

A pneumocócica sofreu redução de uma dose e passou a ser administrada em duas (2 e 4 meses), com um reforço preferencialmente aos 12 meses, mas que pode ser recebido até os 4 anos.