Em novembro de 1999, a CNBB oficializou o dia 08 de Outubro como Dia Nacional pela Vida (Dia do Nascituro). A Diocese de Palmas-Francisco Beltrão, é pioneira no Estado do paraná, pois a região Sudoeste, dos 42 municípios, em 22 foi aprovado o projeto de lei que

“INSTITUI NO CALENDÁRIO OFICIAL DO MUNICÍPIO, O DIA MUNICIPAL DE DEFESA DA VIDA” comemorado anualmente no dia 08 de outubro.

  • Compartilhe no Facebook

Nascituro, a criança que está por nascer.

O “Dia Municipal do Direito a vida” objetiva meditar sobre o grande dom, não só da nossa própria vida, mas da vida de todos os nossos irmãos, especialmente os mais marginalizados e excluídos socialmente.

Essa data é chamada de “Dia do direito de nascer”, “Dia da criança por nascer”, o dia do nascituro.

É um dia especial em homenagem ao novo ser humano, à criança, que ainda vive dentro da barriga da mãe, e que tem o direito à proteção de sua vida e saúde, à alimentação, ao respeito e a um nascimento sadio. E, principalmente, o direito de nascer e de ser amado.

O seu objetivo é suscitar nas consciências, nas famílias e na sociedade, o reconhecimento do sentido e valor da vida humana em todos os seus momentos.

O porquê desse dia?

Porque são muitos os riscos que essa criança corre. Nem sempre proporcionam os devidos cuidados à mãe dessa criança, garantindo-lhe assistência médica durante a gravidez e os meios adequados para um bom parto.

Porque justamente enquanto esse novo ser humano está onde deveria estar mais seguro, na barriga da mãe, ele corre o risco de que lhe tirem a vida através do ato criminoso do aborto.

Porque muitos nem terão direito a conviver com sua mãe, por pouco que seja, vítimas que serão de experimentos dito “científicos”, ou serão “congelados”, alguns até destruídos, enquanto ficam à espera de que sua mãe aceite recebe-los em sua barriga.