Desde o ano de 2005, com a instrução sobre a dignidade do matrimônio, do papa João Paulo II, que incumbiu aos Bispos a obrigação de formar administradores da justiça para seus próprios tribunais, a Igreja preparou a reforma da normativa canônica referentes aos Processos de Nulidade Matrimonial.

O Papa Francisco solicitou que cada Diocese organize, com membros preparados, o Tribunal Eclesiástico. E a Diocese de Palmas-Francisco Beltrão, sob a orientação e empenho de Dom Edgar Xavier Ertl, solicitou, em Roma, a criação do tribunal, sendo aprovado em 31 de janeiro de 2018.

No dia 29 de maio de 2018, data quem que se faz memória do nascimento de Dom Agostino José Sartóri, segundo Bispo Diocesano, e a Diocese celebrando 60 anos de existência, foi instalado o Tribunal Eclesiástico Diocesano de Palmas-Francisco Beltrão, situado em Francisco Beltrão.

Neste dia 29 de maio, Pe. Cesar Poggere, Juiz do Tribunal Eclesiástico, faz um agradecimento ao Bispo Dom Edgar e a todo o Clero pelo apoio ao Tribunal. Divulga que no primeiro ano estão sendo concluídos 22 processos e para 2019, foram protocolados mais 30 processos de matrimônios que não houve prosperidade e que passou a ser uma questão jurídica, mas que a ação pastoral se fez necessária.

Na foto, a inauguração do Tribunal no dia 29 de maio de 2018.

(Àudio com Pe. Cesar Pôggere – Juiz do Tribunal)