Neste sábado (13), romeiros de toda a Diocese de Palmas/Francisco Beltrão, se dirigem ao Santuário Diocesano de Nossa Senhora de Fátima, em Palmas, Sul do Paraná, em celebração aos 100 anos da primeira aparição da Virgem Maria, em Fátima – Portugal. São esperadas cerca de 2 mil pessoas para as celebrações no Santuário, que completará 62 anos de sua inauguração no mês de dezembro.

A relação da Diocese com a Virgem Maria teve inicio em 1944, quando em 31 de maio, o então bispo-prelado Dom Carlos Eduardo de Sabóia Bandeira de Mello, consagrou a então Prelazia de Palmas ao Imaculado Coração de Maria. Na época, o território da Prelazia, abrangia parte dos municípios de União da Vitória e Pinhão e todo o Sudoeste do Paraná passando por todo o Extremo Oeste de Santa Catarina até Chapecó.

No Ano Santo de 1950, Dom Carlos, visitou Portugal, onde teve a ideia de trazer para Palmas uma imagem da Virgem de Fátima, esculpida sobre o modelo da qual até hoje encontra-se na Capela das Aparições, na Cova da Iria. De lá, a imagem foi enviada para Palmas.

O trabalho de confecção da obra coube à José Theddin, o mesmo que esculpiu a imagem da Capela das Aparições e também a da Peregrina Mundial, que visitou Palmas em 1953. Alguns meses depois, a imagem da Virgem de Fátima chegava à Prelazia.

Por cerca de três anos, a imagem permaneceu na residência de Dom Carlos, até que em 1953, por ocasião da visita da Virgem Peregrina Mundial, foi proposta a construção do Santuário de Nossa Senhora de Fátima, que imitaria a Cova da Iria, como uma “Casa de Marfim”, envolta por um “Palácio de Cristal”.

Com apoio do clero e de todas as comunidades da Prelazia, a obra teve inicio poucas semanas antes da chegada da imagem, sendo levantados os alicerces e as paredes da entrada do Santuário.

A imagem Peregrina chegou em Palmas no dia 30 de julho de 1953, sendo recebida por milhares de fiéis de toda a Prelazia, que acompanharam as celebrações durante os seis dias de estadia da Peregrina Mundial em Palmas.

As obras de conclusão do Santuário seguiram no decorrer dos dois anos seguintes. Com apoio maciço da comunidade de Palmas e de todo o território da Prelazia. As paróquias do lado catarinense realizaram a “campanha do vidro”, para o revestimento do “Palácio de Cristal”, trazendo a inscrição de cada comunidade no interior do Santuário.

Em 13 de maio de 1955, em comemoração ao centenário de criação da Paróquia de Palmas, a Imagem encomendada por Dom Carlos foi transportada para a sua Casa. A inauguração oficial ocorreu em 08 de dezembro de 1955, cerimônia presidida por Dom Carlos, que realizou a sagração pontificial ao Santuário.

Fotos: Arquivo da Cúria Diocesana