A comunidade da Igreja Reitorada, de Flor da Serra do Sul, viveu um dia especial e marcante para a história religiosa com a elevação à Paróquia Nossa Senhora de Fátima. A celebração ocorreu no dia 14 de maio de 2017, com a presença do bispo diocesano, Dom Edgar Xavier Ertl presidindo  a celebração, concelebrada pelos Padres: Geraldo Macagnan (Vigário Geral – Pároco da Paróquia Santa Rita – Marmeleiro), Jorge Schafaschek (Pároco da nova Paróquia), Emerson Detoni (Coordenador Diocesano da Ação Evangelizadora), Genecir da Silva (Pároco da Paróquia Nossa Senhora Aparecida – Barracão), Airton Grespan (Pároco da Paróquia São José – Francisco Beltrão e nascido em Flor da Serra) e Cesar Pôggere (Reitor do Seminário Propedêutico de São João).

A elevação à Paróquia foi um desejo da comunidade católica de Flor da Serra do Sul. Diz o Bispo que a criação de uma Paróquia representa a ampliação da unidade com as demais paróquias e a Diocese: “Está dentro dessa rede de comunidades formando comunhão. É uma organização com a residência de um padre, esse era um desejo da comunidade. É uma alegria para nós criarmos a primeira paróquia em nosso ministério episcopal”.

Os critérios para a elevação à categoria paroquial, segundo dom Edgar, é ter autonomia na pastoral, para que haja um

significativo número de pessoas com pastorais e serviços; que tenha uma estrutura física: o templo, centro comunitário, salas de catequese e residência para o pároco. Ter autonomia no dízimo, ter a liturgia, a catequese, o conselho paroquial e um número de fiéis que consigam manter a Paróquia, tendo vida própria: “São essas exigências básicas, mas acima de tudo é importante que tenha lideranças bem formadas e conscientes da missão que assumem na coordenação e animação da nova paróquia”.

Sonora com Dom Edgar Ertl:

Diz o Padre Geraldo Macagnan (Vigário Geral da Diocese, Pároco de Marmeleiro e que foi Reitor de Flor da Serra), que a criação da Paróquia é fruto de uma importante caminhada, demonstração de fé e gesto de comunhão das próprias comunidades que pertenciam a esta Reitoria: “Houve disposição das comunidades em assumir esse compromisso. É a vontade do povo que agora se transforma em frutos na sua disposição de ser igreja”.

Ressalta Pe. Geraldo que é fundamental que, a partir de agora, a comunidade tenha consciência de pensar como paróquia: “Sem consciência de ser Igreja e caminhar em unidade não tem sentido de criar paróquia. O grande passo é saber que somos Igreja viva, que temos responsabilidade diante dela, e que somos uma igreja una, santa, católica e apostólica. Essas condições nos enviam na dimensão de fé e de comunidade”.

O Pe. Airton Grespan, que é nascido em Flor da Serra, destacou a importância da comunidade agora ter a sua Paróquia: “É um momento de festa e alegria. A importância da Paróquia é que a Igreja se aproxima das pessoas e as pessoas da Igreja. Assim o padre, como pastor, cuida de seu rebanho e este fica pertinho de Deus. A nova Paróquia é uma bênção, é um sinal de que Deus se aproxima das pessoas através de Jesus eucarístico”.

Para o Pároco, Pe. Jorge Schafaschek, a criação da Paróquia Nossa Senhora de Fátima, no Centenário da Aparição e no Ano Mariano é uma feliz

coincidência: “Para nós é uma motivação maior. Inclusive levamos, para a celebração, a imagem de Nossa Senhora de Fátima, que está na Casa de Formação Divino Mestre, que veio do Santuário de Fátima, em Portugal. Também como preparação para a celebração realizamos, no dia 6 de maio, um show só com músicas marianas, para valorizar esse aspecto da devoção mariana, uma vez que a Paróquia é dedicada à Nossa Senhora”. Lembrou Pe. Jorge que, para a criação da Paróquia, foi realizado um trabalho de formação das lideranças para a consciência de uma vida paroquial e o compromisso cristão.

Reinaldo Guimarães, como liderança leiga da nova Paróquia, diz que este é um momento histórico para Flor da Serra do Sul: “É um momento único. Como Capela e Reitoria tem uma história de aproximadamente 60 anos. Agora é um momento especial em ver o sonho da comunidade se tornar realidade. Nosso desafio é pensar como comunidade paroquial e levar a Palavra de Deus com mais força ainda”.