• Compartilhe no Facebook

Conforme a psicóloga Caroline Plakitka, o trabalho consiste na centralidade da defesa da vida.

Importante iniciativa em prol da defesa da vida está acontecendo através do Projeto Salve, em Pato Branco, e estendendo-se para demais paróquias da Diocese de Palmas-Francisco Beltrão. Conforme a psicóloga Caroline Plakitka, o trabalho consiste na centralidade da defesa da vida. Essa é maior motivação desse grupo. Ajudar pessoas que, devido a várias circunstâncias, decide pelo aborto, dando fim à vida de outrem ou em alguns casos específicos, até mesmo a própria vida: “Acolher aqueles ludibriados pelos discursos atrativos e forjados que os fazem buscar alternativas teoricamente fáceis”.

Destaca a psicóloga que outro ponto a ser citado, nos relaciona diretamente com o campo universitário. Tendo tal conhecimento buscaremos levar as discussões, já citadas anteriormente, para o ambiente universitário: “Temos em mente de que é na universidade que se encontram nossos futuros médicos, enfermeiros, pesquisadores, psicólogos, professores entre outras profissões diretamente ligadas a essa discussão, os quais necessitam ter acesso a pontos de vista ligados a moral e a ética da vida”.

Amar a vida desde sua concepção até morte natural. Com tal objetivo o Salve olha com cuidado para que o direito à vida, não apenas em um estágio, mas como um todo, desde nascimento até a morte natural, seja de fato uma cláusula pétrea e inviolável da nossa Constituição. Assim como promover discussões e dissipar ideias de assistência psicológica, médica e social para um bem comum e valorização do ser humano, em qualquer estágio da vida.

Diz Caroline que o empenho acontecerá dentro e fora do âmbito eclesial, atendendo ao pedido do santo padre, o Papa, para que sejamos uma “Igreja em saída” (Evangelii Gaudium, 2014). “Nos colocaremos em posição de batalha verdadeiramente equipados, tais, como católicos apostólicos romanos, com ensinamentos alicerçados ao magistério da Igreja, a santa Tradição e a Sagrada Escritura, sempre obedientes ao Papa, ao nosso Bispo Diocesano e ao nosso pároco, estaremos preparados para defender a verdade a todo custo, mesmo que voltemos a ser somente doze” – São João Paulo II.