Tudo começou no último final de semana (dias 29 e 30) do mês de março de 1972. Era o período da Quaresma, cujo tema da Campanha da Fraternidade naquele ano era: “Descubra a felicidade de servir”. Na Paróquia Nossa Senhora Aparecida do Navio, na cidade de Lajes, em Santa Catarina estavam os dois freis franciscanos: Frei Álido Rosá e Frei Hugolino Becker. Eles se perguntavam: “O que poderiam fazer pelos jovens e ao mesmo tempo pelas famílias, naquela quaresma?” “Como pôr em prática este pedido da Igreja do Brasil a serviço de modo especial da juventude?”

Com a ajuda de alguns jovens da Paróquia, os dois Freis organizaram o programa para um retiro de um final de semana, que começasse no sábado depois do almoço e terminaria no domingo à tarde. Por ser, praticamente, um dia e pouco de espaço de tempo, deram o nome de Jornada. Por se destinar aos jovens; chamara de Jornada Jovem. E para simplificar, ficou JJ. Foi assim que aconteceu a Primeira Jornada Jovem, com a participação de uns 40 jovens. E assim a Jornada foi acontecendo em outras cidades da Diocese de Lajes, também chegou à cidade de Anita Garibaldi.

Os jovens Itamar Pereira e Ledir Petry participaram da criação da Jornada Jovem em Anita Garibaldi, em 1973. Em janeiro de 1974 eles foram trabalhar na cidade de Francisco Beltrão, no Paraná. Levaram o espírito e a experiência da Jornada Jovem em seus corações. Se envolveram com os grupos de jovens, cujo Diretor Espiritual era o Padre Renê Van Looy – MSC. Eles conheceram também o seminarista Agenor Girardi que era Missionário do Sagrado Coração e fazia seu ano de Estágio na Assesoar (Associação de Estudos, Orientação e Assistência Rural). Agenor coordenava a Juventude da cidade e das comunidades do interior, juntamente com o Itamar e a jovem Ledir.

JJ na Diocese de Palmas

Dom Agenor Girardi diz: “Recordo com gratidão de minha Jornada Jovem que participei na cidade de Anita Garibaldi, em Santa Catarina, nos dias 23 e 24 de novembro de 1974. Foi mesmo um final de semana inesquecível e cheio de surpresas agradáveis. Voltamos para nossa cidade e mãos à obra. Começamos a preparar nossa Primeira Jornada Jovem nos dias 25 e 26 de janeiro de 1975, por sinal era o dia de São Paulo Apóstolo, o melhor dia para iniciar este novo projeto de evangelização. Realizamos nossa Primeira Jornada Jovem de Francisco Beltrão, com a presença de 32 jovens. Posso dizer que foi um sucesso e uma grande vibração”.

Com o passar do tempo, a Jornada se espalhou em muitas outras cidades e Dioceses do Brasil. A experiência era tão empolgante, que em vez de ser somente um dia, passou a começar na sexta-feira à noite, passando assim a ser Jornada Jovem de três dias.

Quem pode participar da Jornada Jovem? Ela se destina aos jovens entre 18 a 30 anos de idade, como referência básica. Acolhe jovens de todas as pastorais e movimentos da Igreja. O jovem que participa de uma Jornada Jovem é sempre uma liderança qualificada em sua Paróquia. Ele é convidado a voltar à sua comunidade e lá ser “sal da terra e luz do mundo”. O compromisso com os demais JJs é participar de um encontro por mês, seja a nível paroquial, decanal ou até mesmo diocesano. A Jornada Jovem não tem por meta retirar o jovem de sua comunidade, pelo contrário, ele se torna uma referência positiva e é alguém que agora “faz a diferença” no seu meio.

Em anexo, sonora sobre a criação e a atuação da Jornada Jovem na Diocese de Palmas-Francisco Beltrão.